terça-feira, 27 de março de 2007

Camões 2


Camões é um ícone da literatura mundial. Como Shakespeare, um precursor da análise humana. Um poeta de rara beleza que nos emociona. Prometi publicar o poema todo lá no post sobre o vestibular. Aqui está para se deliciarem e para pensarmos um pouco mais sobre o que ele está dizendo...

Amor é um Fogo que Arde sem se Ver
Amor é um fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é um cuidar que ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?

11 comentários:

Udi disse...

Obrigada, Anne querida!
Você conhece a versão musical da Legião Urbana?

Anne M. Moor disse...

da Legião não... me parece que a Leila Pinheiro tbm canta este poema lindo... E tão verdadeira ainda em 2007!!!!!!!!!!!!!!!!!

Lu disse...

Que lindo é isso! Principalmente:
'É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade."

Lú disse...

ET: Tudo, absolutamente tudo de Camões é lindo( Até o estrabismo?!?).
Bjo Anne.

Udi disse...

Anne, vou te enviar a versão da Legião.

Lu, comecei a responder tua pergunta, mas algo me conteve... thanks god!

Camila G.dos Santos disse...

Esse poema de Camões é perfeito!!!!
Mas que o amor é uma coisa complicada...isso é!!hahahahah!!!

Abraços Anne!!!:)

Ernesto Dias Jr. disse...

Udi:
Porquê conter-se? Desembucha, minina... rsrs

Flavio Ferrari disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flavio Ferrari disse...

Meninas, se ele faz isso tudo só com as mões, imagina o resto ...

Anne M. Moor disse...

E em 15 e caracacá!!!!!

Udi disse...

Anne, não encontrei o CD da Legião... :( assim que conseguir um tempo, busco no soulseek procê.

Ernesto, (veja a cara de séria) estou voltando ao meu estilo nipônica contida. (huáhuáhuáhuáhuá...!)