sábado, 17 de março de 2007




Serenata (Cecília Meireles)


"... Permita que eu feche os meus olhos,
pois é muito longe e tão tarde!
Pensei que era apenas demora,
e cantando pus-me a esperar-te.
Permite que agora emudeça:
que me conforme em ser sozinha.
Há uma doce luz no silencio,
e a dor é de origem divina.
Permite que eu volte o meu rosto
para um céu maior que este mundo,
e aprenda a ser dócil no sonho
como as estrelas no seu rumo ... "

Figura: pub44.bravenet.com

3 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Só não é só quem se tem como companhia ...

Anne M. Moor disse...

Flávio...
Não botaste vírgula de propósito? Dependendo onde boto a vírgula na minha leitura, leio algo diferente... :-)

udi disse...

...mas o poeta se faz entender para além dos signos gráficos, nénão?

e o poeta se inspira no blog de sua musa.