quarta-feira, 18 de abril de 2007

Compreensão ou Conhecimento?


Esta não foi na minha sala de aula :-), mas tem a ver com o que Amanda disse no meu post anterior. Tem a ver com autodidatas e professores imbecis, arrogantes e sem a mínima reflexão!!

No Curso de Medicina, o professor se dirige ao aluno e pergunta:
- Quantos rins nós temos?
- Quatro! Responde o aluno.
- Quatro? , replica o professor, arrogante, daqueles que se comprazem em tripudiar sobre os erros dos alunos.
- Traga um feixe de capim, pois temos um asno na sala, ordena o professor a seu auxiliar.
- E para mim um cafezinho! , replicou o aluno ao auxiliar do mestre.
O professor ficou irado e expulsou o aluno da sala. O aluno era, entretanto, o humorista Aparício Torelly Aporelly (1895-1971), mais conhecido como o "Barão de Itararé". Ao sair da sala, o aluno ainda teve a audácia de corrigir o furioso mestre:
- O senhor me perguntou quantos rins "nós temos". "Nós " temos quatro: dois meus e dois teus. Tenha um bom apetite e delicie-se com o capim.


17 comentários:

Walmir Lima disse...

Anne: Você tem alegrado meus dias com tuas postagens geniais. Só que desta vez exagerou. Essa e a da Aeromoça foram as melhores e mais inteligentes que já li. Espetáculo! Bjão.

Flavio Ferrari disse...

Já conhecia a passagem do Barão de Itararé.
Esse sujeito era uma figura.
Mas no final, a vida da o merecido retorno a cada um.
Quem era mesmo o professor ?

Maria disse...

O professor continua comendo capim...Hahahahaha!

Lú. disse...

Que maravilha!!!!
O bom humor é inteligente sempre...

Martha disse...

Achei bárbaro esse cantinho...e estou adorando ver o Barão aí..

Anne M. Moor disse...

Walmir e Lú: Uma boa risada sempre é bom, se bem que neste caso tbm dá vontade de chorar!!!!
Flávio: Um médico... :P
Maria: E aiiiiiiii como tem os que comem capim!!
Martha: Foste tu que nos proporcionaste estas boas risadas... Obrigada.
Gente, foi a Martha que me mandou essa...

Udi disse...

Prá continuar na discussão acerca da arrogância, já que o professor era um médico, tem aquela outra piadinha: existem 2 tipos de médico, aqueles que pensam que são deus... e os que têm certeza.
(que o meu querido Betarello e demais profissionais da área perdoem a generalização)

Amanda Arthur disse...

Nada como presença de espírito!

Amanda Arthur disse...

Ah! E papai é médico e está a anos luz de pensar que é deus... Dos exemplares que conheço, a maior também está. Discordo bastante da generalização, Udi!

Udi disse...

...é, Amandita, eu também!

Walmir Lima disse...

Eu peguei um ortopedista, então, que pensa que Deus é apenas um de seus lacaios. É pouco?

Udi disse...

A propósito do assunto deste e dos 2 posts anteriores, recomendo a leitura do Luiz Alberto Marinho no Blue Bus de hoje (www.bluebus.com.br). Sob o título de "Recursos Humanos | Os profissionais com 'penso' são raros e mais caros".
Anne, incrível sicronicidade e humor como você gosta.

Anne M. Moor disse...

Boa dica Udi... Gostei e muito do verdadeiro... Pessoas com penso atrapalham as que não tem penso...!!!!!!!!!!!!

Menino: Lá na escola, me mandaram escrever um texto sobre a independência do Brasil! Então eu falei que o Brasil não era independente pois dependia do FMI! Me disseram que eu devia me limitar a escrever pois eu não estava ali para dar aula! Eu já aprendi a escrever. Acho que pensar dever ser matéria do próximo ano...

Udi disse...

huáhuáhuáhuááá..!!

Flavio Ferrari disse...

Sempre haverá colonizadores e colonizados, conquistadores e conquistados.
Antes era a guerra.
Agora, é a economia.
Prefiro a segunda. Dá para disfarçar melhor e seguir vivendo.
Pena que o modelo econômico atual está à beira do colapso.
Espero que aquilo que venha a substituí-lo seja tão elegante quanto.
Detestaria passar os últimos anos da minha vida em meio a uma terceira guerra mundial.

Anne M. Moor disse...

Estás te sentindo velho meu querido?????????????? Tens metade da vida pela frente ainda... Mas concordo contigo...

Udi disse...

Flavio?! De onde isso?!
Anyways, até mesmo prá um assunto assim, estás a escrever em versos :)