quinta-feira, 12 de abril de 2007

Imortal


Traz a tua paz para os meus sonhos
E faz que a minha noite seja eterna,
E assim, enquanto a vida hiberna,
Nossas almas, no entressonho,
Vaguearão juntas ao infinito
Num sopro de eternidade e vida.
E numa fuga do que esteja escrito,
Escapando do destino sensabor,
Libertos de incertezas aflitivas,
Distantes do corrupio, da roda-viva,
Buscaremos na esperança mais luzida
A imortalidade desse nosso amor.

By Francisco Simões
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021d.htm

7 comentários:

Ernesto Dias Jr. disse...

Amor eterno, nem no cemitério, como atesta esta letra de Alvarenga e Ranchinho, em Romance de uma Caveira:

Eram duas caveiras que se amavam
E à meia-noite se encontravam
Pelo cemitério os dois passeavam
E juras de amor então trocavam.
Sentados os dois em riba da lousa fria
A caveira apaixonada assim dizia
Que pelo caveiro de amor morria
E ele de amores por ela vivia.
Ao longe uma coruja cantava alegre
Por ver os dois caveiros assim felizes
E quando se beijavam entao funebres
A coruja batendo palma e pedia bis
Mas um dia chegou de pé junto
Um cadáver novo de um defunto
E a caveira pr'ele se apaixonou
E o caveiro antigo abandonou.
O caveiro tomou uma bebedeira
E matou-se de um modo romanesco
Por causa dessa ingrata caveira
Que trocou ele por um defunto fresco.

oxygen.michele disse...

Poesia é tudo na vida do ser humano!
Tenha um lindo final de semana!
:D

Udi disse...

"...mas que seja infinito enquanto dure"

Anne M. Moor disse...

Ernesto: concordo... claro que nao é eterno!!! Mas como diz a Udi, enquanto exista e dure que seja o alimento da alma... :-)

Walmir Lima disse...

Oi, Anne. Só li teu post depois que fiz o meu 'A Oração do Centauro'. Tem coincidência ou sintonia por aí....Que seja Eterno e dure !

Flavio Ferrari disse...

Um tanto alienante esse amor ...

Maria disse...

My goodness! Ernesto, isto é que se chama de desenterrar.
Eu não me lembrava da letra.
É eterno e dura. É alienante, é alucinante, mas é pra lá de bom.
Mas tem gente que perde a hora do trem e infelizmente chega atrazado.
Peninha né?