quarta-feira, 2 de maio de 2007

Cora Coralina

Não Sei
Não sei... se a vida é curta
ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos
tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo,
é o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela
não seja nem curta,
nem longa demais,
Mas que seja intensa,
verdadeira, pura...
Enquanto durar...

7 comentários:

Flavio Ferrari disse...

... e o meu maior prazer nas relações humanas: ajudar a descobrir...
Seja missão, compulsão ou sacerdócio, mais intenso que puro, dá uma incomensurável densidade à vida.
Vida esta que não tem sentido, mas tem sentidos...

Ernesto Dias Jr. disse...

...e talvez o único sentido seja esse mesmo: senti-la...

Anne M. Moor disse...

Ou vivê-la ...? E misturando os blogs:
complexo
reflexo
de incertezas
de medos

Lú. disse...

O grande "barato" das relações humanas é que somos (de infinitas maneiras), veículos geradores de crescimento uns nos outros.
Troca, interação, sinergia...O fato é que o conviver engrandece o viver.

Anne M. Moor disse...

É Lú... é isso aí :-)

Camila G.dos Santos disse...

Muito lindo esse texto!!!!!!!!!!!!!!!Dá pra pensar em tantas coisas:)
Adorei!!!!!!!!!
BJS Anne!!!!!!!!!!

Walmir Lima disse...

E a simplicidade e a clareza de Cora nos tocam, exatamente como disse na própria poesia.
Ela via tudo simples e claro, nós não.