terça-feira, 29 de maio de 2007

Fernando Pessoa também sabia das coisas ...

O Amor, Quando Se Revela ...

O amor, quando se revela...
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p' ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há-de dizer
Fala: parece que mente...
Cala: parece esquecer...

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
P'ra saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar ..

10 comentários:

Anne M. Moor disse...

Serei que compliquei tanto assim? Kd todo mundo?

Amanda Arthur disse...

Mas os olhares dizem tanto, não?!
Dizem mais que algumas palavras, até?!

Lú. disse...

Quem sabe, sabe...
Superbeijo
Lú.

Anne M. Moor disse...

Fernando Pessoa é genial...

Camila G.dos Santos disse...

Olá Anne!!!!!!!!!!!!!!
Muito lindo esse poema!!!Adoro Fernando Pessoa!!:)

grande beijo

Camila

Ernesto Dias Jr. disse...

O português era supimpa, pois não?

Anne M. Moor disse...

É Ernesto... supimpa pois sim...

Udi disse...

Se complicou não sei, confesso que li 3 vezes... mas eu e minha lerdeza não somos parâmetro.

Flavio Ferrari disse...

Eu acho que é melhor dar logo um beijo e pronto ...

Anne M. Moor disse...

Amanda: Olhares são mágicos e reveladores...
Lú e Camila: Pessoa é (pq ainda vive nos poemas) uma pessoa sem tempo...
Udi: É a nossa vida seguidamente...
Flávio: Might be a good idea... :-)