sexta-feira, 3 de agosto de 2007

O antes, o durante e o depois...



Inspirada num post da Ti (Prozac Café)

Diz a Ti: “O mais importante é acreditar que nada é para sempre.” Aiiiii, quantas vezes eu me disse isso ao longo do último ano. Repeti e repeti, me olhando no espelho. Gritei bem alto nos momentos de desespero, de vontade de me jogar numa pizza!

Quando estamos gordas nos olhamos no espelho e enxergamos o que queremos! Fazemos mil desculpas: estou feliz assim; pouco me importa se estou gorda; tem quem goste... e assim por diante. Eu não estava infeliz não. É como diz Flávio “Só, torturado e aflito, mas não infeliz.” Eu estava gorda, angustiada, ansiosa, enfrentando a vida, mas não infeliz. Mas quando estamos de dieta, temos, como diz a Érica, a urgência de quem vive hoje e acha que não vai haver amanhã. Que nunca mais vai ter pizza, bauru, cachorro quente, lasanha... Êta coisa ridícula! Mas enquanto a razão nos esfrega na cara o ridículo de achar que o mundo está no fim por que não podemos comer essas coisas hoje, a angústia (será?) nos atormenta!

Em 30 de agosto de 2006 fui enfrentada com o estado lamentável do meu corpo e de minha saúde, o que me acordou. E com a ajuda de uma médica humana e competente, que não me poupou das possíveis conseqüências do que eu estava fazendo comigo mesma, consegui emagrecer vinte quilos em dez meses e consertar, dentro do possível o resto que estava detonado. Mas não sem muito desespero, não sem uma vontade incontrolável de me jogar num prato de massa. Tive, durante esse tempo, uma pessoa muito amada que, ao me ouvir dizer que estava pronta pra me jogar numa pizza, me dizia, com a maior calma, vai beber um copo bem grande de água. Ele NÃO sabe a sorte que ele tem de estar do outro lado do Oceano Atlântico!!!! Mas era exatamente isso que eu fazia. E sabem que funciona... ?

Os piores momentos foram nas noites frias ou quentes em que fiquei paralisada, como diria a Maria, na frente da geladeira querendo comer o que não podia. Mas PASSOU e consegui! Meu pavor (sim, pavor) agora é engordar tudo de novo... Mas hoje eu tenho certeza (das poucas) de que vou conseguir me controlar quando tenho vontade de comer, comer, comer (por que sei que ISSO não vai passar) e que NÃO vou engordar de novo.

Comer é um vício como outro qualquer e difícil de quebrar. As pessoas não entendem isso e certamente não compreendem o desespero e a dificuldade de “acreditar que nada é para sempre” e que amanhã as pizzas e outros quetais mais AINDA estarão por aqui.

Mais uma conquista na minha vida...

© Anne M. Moor - 2007

17 comentários:

É! disse...

Parabéns, Anne, pela sua vitória!
Acompanhei de perto uma luta como a sua e gostaria que essa pessoa estivesse aqui hoje para ler o que você escreveu. Ela não estava sozinha, mas achava que estava...
Anyway... depois eu falo sobre isso...
Que as boas energias nos protejam da ansiedade, o mal do século XXI... Te admiro pela sua força! (e pela docilidade de sempre!!)

Jorge Lemos disse...

Seu texto foi parar nas mão do meu ansioso neto.
Que dizer mais?...

Anne M. Moor disse...

Erica: Thanks dear!

Jorge: Se o texto servir pra ajudar alguém, que maravilha! Estou há horas querendo escrever sobre isso... Coisas que descobri ao longo do percurso e que quem nunca foi gordo definitivamente não entende... O post da Ti me deu a motivação necessária... Obrigada Ti...

Luisa Fernanda disse...

Querida Anne, yo no sabía que eres gordita como yo. También ha bajado 23 kilos en un año...mas quizás no por las mismas razones.

Tengo un amigo judio nacido aquí en Brasil que sus abuelos y padres pasaron grandes guerras y persecusiones hasta que se asenaton aquí.

Una vez estabamos teniendo una espléndia cena en mi casa; él es flaco como una espina.

El comió un plato magnífico que hize(modestia aparte), mas en proporciones pocas porque me encontraba a dieta.

Al terminar de cenar me miró profundamente, y me dijo, .."Gracias Luisa, mi abuela me enseñó que uno tiene que sentarse a la mesa con hambre y pararse de la mesa con hambre...he comido maravillas en tu mesa, pero esta vez fue perfecto"

Yo como siempre que prefiero perder la amistad que perder la piada le dije..."y que se puede esperar de tu educación...eso se le tenía que decir a los niños...entre tanta guerra...se morían todos de hambre y cuando a veces comian, era tan poco, que seguían con hambre..."

Nos reimos como media hora del sarcasmo de la vida...

Ahí le dije a mi amigo..."y todos somos frutos de la guera, a mi abuela me decía que uno no tenía que dejar nada en el plato...y quizás poqrque mañana no habría que comer..."

Diferencias entre tiempos de abundancia y vacas flacas, filosofías de guerra que se convierten en doctrinas tan profundas que alteran tu cuerpo

Walmir Lima disse...

E como é bom pôr isso tudo para fora, não Anne? Falar abertamente, ser transparente, exorcizar esse tormento. Acho que faz parte da terapia e ajuda a reunir forças para combater a tentação diante de um 'bendito' Sundae de chocolate.
(....hummm...pensando bem....)

Anne M. Moor disse...

Luisa, nuestro cuerpo a vezes decide incorporar los dolores de la alma...

Walmir: Me fez bem sim e vou ler todos os dias de manhã ao começar o dia pra me lembrar do tormento... A tentação aqui é outra :-) Pizza, bauru, coisas boas e que me fazem mal!!!!!!!!!! O açucar não é o que mais me faz falta, mesmo sabendo que não posso... Aprendi a fazer doce sem açucar - e fica uma delícia... igualzinho - vou te mandar umas receitas...

Vera Menezes disse...

Anne querida,

Admiro sua coragem e seu exemplo, mas ainda não consigo tomar uma atitude. Fico sempre adiando o regime e sempre com uma bela desculpa. A de hoje é o frio e uma canjica quente na panela.

Beijo,

Vera

Ti disse...

Anne,

Que delícia de exemplo!!! Parabéns pela coragem de mudar algo tão difícil...

Beijos

Anne M. Moor disse...

Vera: Certamente cada um tem o seu momento para tomar decisões, embora, as vezes, como foi o meu caso, a decisão é tomada pelo corpo e seus membros... :-)

Ti: Obrigada querida! Foi tua a motivação de eu escrever o texto que queria fazer há bastante tempo...

Jorge Lemos disse...

Anne nos mostra, de corpo inteiro,
a essência do espirito: aquilo que
lhe tolhe, descarte.
A vida é uma arte,
a arte exige, antes de mais nada,
estar bem consigo mesmo.
Para tanto não hacrificios, há compensações!

Anne M. Moor disse...

Jorge... Vc chama o Fernando Pessoa de genial, mas vc tbm o é, e meu amigo... Sempre poetando... Lovely!

Udi disse...

Bacana, Anne! Obrigada por mais uma de suas lindas mensagens a partir da tua própria história.
beijo.

Flavio Ferrari disse...

Conselhos práticos, caso você já não os tenha adotado:
1. Aprenda a tomar café sem açucar, preferivelmente expresso. Sem açucar e sem adoçante. Leva uma semana para acostumar, mas vale a pena.
2. Experimente alimentar-se só de frutas (qualquer uma e em qualquer quantidae) por 30 dias (um dia de cada vez, baby). Garanto que sua relação com a comida vai mudar depois disso.

Nota: se decidir seguir o conseho 2, use e abuse de limonada adoçada com mel nos primeiros dias para compensar os efeitos da hipoglicemia e da desentoxicação. Caso tenha diabetes ou algo similar, monitore a taxa de glicemia com redobrada atenção mas não descarte a ideia.

Anne M. Moor disse...

Flávio dear! Obrigada pelos conselhos, mas depois do 3° dia provavelmente eu matarei alguém. The craving is unbelievable... But it's OK, passei pelo pior (acho) e agora é controlar. Como diz a Ti, tudo é controlado, sabe lá por quem e/ou que, e, portanto, controlável.
Besos

Raquel Neves de Mello disse...

Fiquei emocionada (e morta de inveja) de sua coragem e ternura. Mas dificil é acreditar que voce emagreceu tanto, cozinhando tao bem. Uhmmm. Me deu uma saudade da sua comidinha ...

Anne M. Moor disse...

O fato que gosto de cozinhar e bem (modéstia a parte) é um dos meus grandes problemas!!!!!!!!!!!!!! Um dia desses eu apareço por aí e cozinho...

Zé Carlos disse...

Oi Anne querida, eu imagino o seu calvário e de tantos que infelizmente passam por isto.
Vitória enorme a sua e este sabor da vitória é lhe saciará e dará muita energia para perserverar.
Um beijo imenso do teu amigo e olhe, vc ficou linda assim!!!
Bjs do ZC