quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Indignação

Enquanto as pessoas de bem trabalham em prol deste país, passam fome, padecem nas mãos do sistema de saúde, entre outros os primatas, nossos representantes (SIM, os colocamos no Senado), fazem festa. Dia 12 de setembro de 2007 o Senado consegui consolidar a indignidade, a falta de ética, a deshonestidade e a pura cretinice. Estou de luto e muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiito triste!!

12 comentários:

Jorge Lemos disse...

Anne:
Meu texto escrito na tarde de ontem reproduz exatamente a sua indignação e palavras. Começo meu texto assim:-
"Ao ver triunfar os homens corruptos sobre os de bem: MEUS PÊSAMES BRASIL! Ao ver a imoralaidade sobrepujar as virtudes: MEUS PÊSAMES BRASIL!
A Ratazana circula em Plenário eufórico e vitorioso.
Do outro lado nós, agachados, de joelhos, refens da imoralidade que se instalou"

Parabenspelo seu texto mas: meus pêsames pela morte da vergonha!

Anne M. Moor disse...

Jorge... CHEGA! Hoje enviei email para muitas pessoas para virem aos nossos blogs expressarem sua indignação. O grito tem de vir! Chega desta impassividade!!! :'(

Vera Menezes disse...

O pior de tudo foi ver o Renan intimidando os senadores e eles não reagirem. Lamentável perceber que existe uma rede feita de lama.

Beijo,

Vera

Márcia disse...

Anne:

Indignação é pouco caso, estou com muiiiita raiva! Eu queria saber os nomes de todos os senadores que votaram a favor do Renan e distribuir por aí em panfletos. Ano que vem tem eleições... Marcia Duarte

Maurício Flores dos Santos disse...

Me solidarizo ao seu comentário e quero acrescentar que como cidadão ciente de minhas responsabilidades, me sinto envergonhado por atos de nossos representantes. Senado prá quê?????
Uma estrutura inteira a serviço da canalhice, da corrupção e da ladroagem.
Maurício Flores dos Santos
Cidadão brasileiro

Ernesto Dias Jr. disse...

Calma, gente. Calma.
O pior, sob a batuta do Grande Líder eleito pelo povo ainda está por vir.
Estamos só assistindo à formação do ovo da serpente.
Quem viver verá.

Anne M. Moor disse...

É Vera, a lama reina...

Márcia: por isso mesmo que não podemos nos calar.

Maurício: obrigada pela visita e pelo comentário. Vamos continuar lutando por aquilo que importa!!

Ernesto: CALMA???? É por isso mesmo que não dá pra ter calma... Os sinais são tão evidentes e é isso que me assusta!!

Jorge Lemos disse...

Conheço as peças em cartaz e todos os seus autores: foram meus 60 anos de imprensa, radio e tv que me deram um pouco de luz para analisar o que está por ai. Ernesto está certo: o ovo da serpente não grada apenas uma cria, são muitas:notaram como os bandos en Brasilia sempre são formados por 40 ladrões?

Angela disse...

É de dar nojo!

Todos eleitos, E-LEI-TOS...

Não vejo luz no fim do túnel.
Votar em quem?
Não vejo luz no fim do túnel!
Que raiva!

Flavio Ferrari disse...

E alguém esperava outra coisa ?
A quantidade de pessoas que se mete em política pensando em cumprir com suas obrigações é muito pequena.
E, lamentavelmente, mesmo esses desistem logo.
Queridos, a história demonstra que indignar-se resolve pouco.
Revoltar-se, ídem.
Promover uma revolução, pior ainda.
A única solução possível, ainda que de resultado duvidoso, é que mais pessoas bem intencionadas deixem seus projetos pessoais de lado por um período e se canditatem a cargos públicos.
Não vejo outra.
Quer ver a coisa bem feita, faça você mesmo.

Walmir Lima disse...

Concordo plenamente com vocês, mas, em particular com o pensamento do Flávio. É esse o caminho no qual acredito. Temos que começar pela base...desde o condomínio, representante de classe no colégio, passando pela vereança, para onde deve ser eleito um representante do seu bairro, e assim por diante. Temos que formar e seguir nossos políticos, desde essa base, como nossos legítimos representantes, mudando nossos critérios de escolha, que hoje tendem mais ao favorecimento particular, de interesse individual, usando o voto como moeda de troca, ao invés do comunitário.

Walmir Lima disse...

Porém, acredito, também, que não se deve calar. É preciso que nos manifestemos cada vez mais, até se formar e se ampliar a consciência comunitária, a partir dos nossos filhos, pois é um trabalho cujo período de maturação leva gerações pra formar. Omitir-se, calar e não votar não leva a nada, ou melhor, leva, sim, ao ambiente ideal que favorece a perenização da bandalheira.