segunda-feira, 12 de novembro de 2007

O acordar

Cheiros, sons, lugares, ruas,
imagens fazem parte de quem somos.
Cheiros de parillada, do mar...

Sons de carros velhos, de ônibus caindo os pedaços,
do vento por entre as folhagens de ruas ladeadas
por árvores que escondem o céu;
da língua de minha infância...

Ruas por onde andei quando criança,
imagens de túneis de folhagens
como uma passagem misteriosa
que levava e leva ao sonho.

Relembro ao perambular
pelas ruas e
ramblas de Montevidéu.

Acoplado ao passeio pela cidade, acordando lembranças gostosas, também estive na companhia de pessoas queridas - primos, tias e tio - que mantiveram uma ligação forte de família. Todos os anos, os da Inglaterra, fugindo do frio vem acordar memórias em Montevidéu. Eu, do Brasil, me junto a eles e os de Montevidéu nos abrigam e proporcionam o espaço para o reencontro anual de convívio e risadas gostosas. O exercício do relembrar, o sonhar acordado, o acordar para quem sou e como cheguei aqui é uma experiência deliciosa.

© Anne M. Moor – novembro 2007

12 comentários:

Ernesto Dias Jr. disse...

Minha família também tem dessas. A gente se sente criança de novo, né?

vittorio disse...

Ao somares todos estes teus eus, a tua vida se transforma num conto repleto de alegrias, de cores, de amores, de fantasias.
E o que é melhor, nos convida a dar um passeio por entre as cenas que o teu pensamento transforma, dando vida as letras mortas.
A amiga é fiel ao propósito do teu blog, maravilhosa descrição, senti-me ali vendo as tuas paisagens descritas pela janela dos teus sentimentos.

Flavio Ferrari disse...

Aproveitou para tirar uma tarjeta Pepperoni ?

ANA disse...

Retornar de algún modo a la infancia, sacando del cajón del olvido aromas, lugares, música o personas...Nos transporta rápidamente en el tiempo, nos complace tan en profundidad que hasta nuestras células sonríen.
Un abrazo y gracias por tus comentarios, esos si son un placer.
ana.

Anne M. Moor disse...

Ernesto: Sim e dá uma nostalgia das boas...

Vittorio: Sinta-se em casa! :-)

Flávio: Aproveitei... Tu já tinhas lido isto lá no meu outro blog. Aprimorei um pouco :-)

Ana: Caminar por las calles de Montevideo, adonde naci, hace sonreir las células si... :-)
Los comentarios en tu blog son motivados por los posts magníficos que buscas e compartilhas con nosotros.
Bjos e bom dia a todos!

Waipu Carolina disse...

Un beso desde Cataluña!

Jorge Lemos disse...

Os ráios de sol filtrados pelas folhas das arvores altas da alameda
que nos viu crescer,
as velha canção das casuarinas
que te viram sempre assim, menina...
A imagem que nos leva sempre a compor um ode de amor a vida...

é assim que caminhamos, amiga querida!

Jorge Lemos disse...

as velhas canções que...

Anne M. Moor disse...

Gracias Waipu Carolina por tu visita. Vuelva siempre!

Anne M. Moor disse...

Jorge: dizer o que... estou triste hoje e tua visita aqui me fez bem...

A.Tapadinhas disse...

Quando visitares o meu blog, por detrás da tela em primeiro plano, está um quadro muito especial para mim que foi feito numa manhã, febrilmente, que eu chamo de "Floresta Maravilhosa". Para além da semelhança com a tua fotografia, a descrição que fazes assenta como uma luva ao que eu sonhei "...túneis de folhagens como uma passagem misteriosa que levava e leva ao sonho." Pela tua mão voltei à floresta maravilhosa...
Obrigado!

Anne M. Moor disse...

Que bom que minhas lembranças e sonhos fecham com o teu quadro. Vou lá ver...
Abraço