quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

SONETO CON ABISMO

Cada cual sufre con su próprio abismo
su personal derrota / su fracaso
hasta en el sueño uno da un mal paso
y entonces no se quiere ni a sí mismo

si ha de quedar atrás el egoísmo
y se cambia el desdén por el abrazo
ya no será tan cruel el suelo raso
y no habrá que temer al fanatismo

hay que poner los pies en el presente
para que antes de volverse viejo
se puede vivir más tranquilamente

la verdad pura sólo llega el día
en que uno aprende al verse en el espejo
que el abismo sólo es melancolia

© Mario Benedetti

13 comentários:

Angela disse...

E desses momentos de introspecção, melancolia e silêncios fica a lição de que a vida é isso mesmo, uma eterna tentativa...às vezes dá certo...às vezes nem tanto!

ANA disse...

Un soneto precioso el de M.Benedetti.
Él tema me recuerda a los sentimientos que me hicieron escribir la poesía de la semana pasada.
Va del abismo, del fracaso, del miedo, de las tormentas emocionales y de la calma final.
Un beso Anne, buen dia,
ana

Anne M. Moor disse...

Angela: é isso mesmo, mas tbm aprendi na minha caminhada que NADA é em vão. Tudo tem uma razão de ser. A maior parte das vezes a gente não sabe que razão é essa, mas está lá...
Estava sentindo a tua falta...
Beijosssssssssss
Ana: M.Benedetti és genial. Que bien que al final de tu poema hubo una calma de tus sentimientos. Abismos, miedos, tormentas emocionales nos acompañan - hacen parte de nuestras vidas e van moldando quien somos.
Buen dia pra ti tbm
Besos
Anne

A.Tapadinhas disse...

Qué, qué isso, Anne?! Deixa melancolia pra lá(estou a tentar escrever em brasileiro, topas?)...
Manda um poema de amor, puro e duro... um hino à vida, valeu?
Beijo, com alegria...
António

Anne M. Moor disse...

Valeu António! hahahahaha Me aguarda que já já posto um poema de amor...
Beijão

Flavio Ferrari disse...

Toma um Buscopan com mel ...
Deve ser ótimo para quem está melancólica...

Udi disse...

O poema é maravilhoso!
"hay que poner los pies en el presente"

...mas já comecei a ler imaginando qual seria o comentário cômico que o Flavio faria prá melancolia do Bendetti :)))

Anne M. Moor disse...

Flávio: Tás querendo me matar????

Udi: é né... lindo de morrer :-) Adoro o Benedetti!!

vittorio disse...

O impossivel é encontrar-se na própria imagem, mergulhamos no vazio do nosso olhar, para nos perder-mos.
É inteiramente alucinante saber que sou não em mim mas nos outros.
E afinal das contas quando estou só procuro o reflexo de mim em mim e não encontro.
Loucura talvez, mas para me conhecer melhor.... melhor seria eu fosse o outro.

Anne M. Moor disse...

Vittorio: A vida é alucinante mesmo, mas tãoooooooo boa. E nem somos no outro e nem estamos em nós, somos e estamos na interação COM o outro...

manuel-tuccitano disse...

...significa que rectificar es de sabios, para no andar errante durante el resto de la vida???
saludos desde España

Anne M. Moor disse...

Obrigada pela visita Manuel (desde Espanha). Sinta-se em casa e vuelva siempre...

SHE disse...

Bennedeti...uno de mis tantos favoritos .Anne la melàncolìa a
veces dà matices suaves a sentimientos intensos.

de tour por los blogs.

un abrazo linda amiga.