sexta-feira, 2 de maio de 2008

Frio

frio movimentado a vento
rodopiante, a se enrolar
em chuva, em almas –
água!

tamborila na vidraça
qual pedido insistente
mermeriza, encanta, chama –
segredos!

escorrem pelo caixilho
em formas insinuantes
deslizam, ondulam, goteiam
sonhos!

© Anne M. Moor - 2008

10 comentários:

vittorio disse...

Tudo a ver, chove a cantaros e com a chuva o frio do sul veio para Vinhedo.
Encantei-me com o teu poema, cada vez melhor, cada vez mais nos faz sonhar...com chuva e tudo...lindo
Beijos saudosos

Ernesto Dias Jr. disse...

São Paulo no frio. Delícia!

Anne M. Moor disse...

Vittorio:
Welcome back!!! Estava com saudades do teu poetar por aqui e obrigada :-)

Ernesto:
Frio em São Paulo, em Pelotas, em qquer lugar. O tamborilar da chuva nas janelas, empurrado pelo vento parece amigos chegando e nos chamando...

Daqui a 14 dias estarei por aí :-)

Beijos aos dois

ANA disse...

La lluvia es simpre melancólica, nos enferma de nostalgia y nos moja con su húmeda memoria.
Un besito Anne,
ana

Anne M. Moor disse...

Pero, Ana, nos dá una sensación de bién estar también... Me gusta la lluvia...
Besitos

disse...

ANNEEEEEEEEEEEEEEE!


POEMA DE PRIMEIRA LINHA!!!!!!



MUI-TO MAS-SA!!!!

Beijão.

Anne M. Moor disse...


Fico envaidecida qdo falas assim!!
Beijo

Suzana disse...

Um dia de chuva.
Na vidraça
A gota dança
E balança
Fazendo troça

Igual as minhas lembranças...

Jorge Lemos disse...

Teu caminho éstá pautado pelas Letras que compõe. Versos quentes
aquecendo o inverno. Perfeitos.
Saudoso e mudo
Jorge Lemos

Anne M. Moor disse...

Suzana: Me encanta a chuva... :-)

Jorge querido!
As TUAS palavras sobre meus escritos são um paraíso! Estou chegando dia 16... Tbm estou saudosa. Falta pouco...
Beijão e outros pra Stephania