quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Divertimento ou comércio?

Flávio me deu uma sugestão 'must' antes de eu vir pra cá e como eu sou muito obediente fui visitar Amsterdam e seu ou seus pontos turísticos tão falados pelo mundo - a zona vermelha.

De vermelho não vi nada. Vi foi cinza. Deu-me uma tristeza... Não se pode tirar fotos das mulheres em seus 'postos' nas vitrines e, portanto, tirei uma de outra opção (acima), que diria eu, um tanto quanto apertada... (No pun intended) Dependendo, pode até ser bom!!! As vitrines em ruelas que mais parecem a Riachuela em Porto Alegre com as prostitutas nas portas, não têm absolutamente nada de pitoresco. Pintam a mulher como gorda com as partes transbordantes por cima de roupa interior minúscula à venda. Comércio puro e se pensarmos que essas pobres mulheres são manipuladas pela máfia, fica ainda mais evidente!!! As lojas com tudo que se quer e que não se imagina temos no Brasil para quem quiser e gostar.

Um amigo meu disse que eu não entendi nada! Mas entendi sim, aliás entendo e esse desrespeito à mulher, como vcs bem sabem, é algo that really pisses me off!!! Perguntem se tem homens nas vitrines?????????????

Algo que não gostei em Amsterdam! A única decepção, por enquanto, na Holanda!

PS: Relendo o que escrevi, tem um 'q' de agressivo - SORRY - essa não foi a intenção. É que este assunto em particular me deixa vendo vermelho :-)

16 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Bem... para uma postagem em minha homenagem, foi um tanto ácida ... mas vá lá ... eu sobrevivo.
Tentei tirar uma foto das vitrines quando estive lá e levei uma latada de coca-cola light na cabeça. E você sabe quanto custa uma lata de coca na Europa !!!
Se as garotas cobrassem por foto, trabalhariam menos e ganhariam mais. Um erro crasso no modelo de negócios.
Prostituição controlada pela Máfia é trágica, como qualquer outro tipo de exploração.
Mas Amsterdam é o único lugar do mundo em que essa realidade está nas vitrines, sem disfarces.

Flavio Ferrari disse...

Não tem homens nas vitrines.
Isso não quer dizer que não exista prostituição masculina.
É apenas um sinal do moralismo tosco e machista vigente.
Se uma mulher acorda pela manhã, caminha nua até a varanda do quarto do hotel e se espreguiça languidamente ao sol, todo mundo acha lindo.
Se um homem faz isso, chamam a polícia.
Que injustiça !

Flavio Ferrari disse...

By the way, embora não seja um especialista no assunto, durante um período recente em que estive "descompromissado" tive a a oportunidade de frequentar (pela primeira vez, pasmem) alguns "night clubs" pelo mundo (incluindo o Brasil).
O que posso dizer dessa experiência é que só no Brasil encontrei garotas que realmente se divertem trabalhando.

ps - ainda não visitei o Japão e a Tailândia.

Flavio Ferrari disse...

E, por último, realmente acho que a prostituição deveria ser legalizada.
Faria bem para a sociedade e para aqueles (homens e mulheres) que escolhessem essa profissão.

Anne M. Moor disse...

Flávio querido!
Não quis ser ácida contigo! Sou ácida com a situação!!!! Poderíamos discutir esse assunto horas over some beers - dá pano pra manga!!!! Fico mais pissed off com minhas pares, as mulheres, que são mais machistas que os homens!!!

Quanto à escolha da profissão, bem... esse é outro assunto, como diria o teu filho!!

Não fica chateado comigo tá???
Abração
Anne

Ernesto Dias Jr. disse...

Pô Anne! Podias então ter fumado um baseado num boteco aí da cidade. Ao menos combateria a acidez, rsrsrs

Flavio Ferrari disse...

Chateado com você ? Jamais !
Mas imagino que você não tenha visitado nenhuma igreja ....

Anne M. Moor disse...

Não Flávio, a entrada é cara demais e resolvi gastar meu dinheirinho em outras coisas... :-)

Anne M. Moor disse...

Ernesto,
Quase comprei uma daquelas 'coisas' de fumar hashish!!!!!!!!!!!!!!! Achei genial. kkkkkkk

Silvia Mardedentro disse...

Agressivo nada!!! é uma exploração voraz! Mas o pior é que, às vezes, há conivência das ditas. Pode?

Silvia Mar dedentro disse...

Gostei do que o Flávio disse sobre espreguiçar-se na varanda do hotel. Somos mesmo um bando de preconceituosos!!!

Anne M. Moor disse...

Silvia,
Poissssssssss... Embora queiramos dizer que nãooooo, somos mesmo!!!!

Jorge Lemos disse...

Anne Amiga:
Considero a maior agressão ao genero humano a referida área.
Circo deprimente onde a vitima
é a antepara da sociedade: as que praticam a mais antida profissão.
Tal "refinamento" cultural só se presta aos amantes da depauperação cultural.
A mulher objeto é a apenas a insensibilidade do homem abjeto.

Volte logo.

Anne M. Moor disse...

Jorge,
Eu te adoro!!
Beijão

Sandra disse...

Encontrei o seu blog através da Marina...
Tenho 36 anos e a primeira vez que fui a Amsterdão tive a mesma reacção à rua da lanterna vermelha...
Achei degradante e não vi, nem continuo a ver, como a rua pode ser atractiva... A menos que se esteja na pele de cliente e aí o que lhe interessa é o que está dentro da casa, por trás da vitrine.
Acho que essa é uma visita dispensável, numa cidade tão interessante...

Anne M. Moor disse...

Sandra,
Obrigada pela visita. Volto sempre e concordo contigo completamente!! Vou já lá visitar seu blog...
Abraços