sábado, 18 de outubro de 2008

Limites...

Limites
existem? Quais?
Liberar-se de correntes impostas
pela sociedade, família ou por nós mesmos.
Vontades novas e surpreendentes, ligadas a limites
impostas ou não. Quando sabemos que às ultrapassamos?
Há como saber? Há como medir? Há como admitir?
Alguns diriam que sim, claro, óbvio. Outros
nem saberão o significado por detrás
das buscas, das dúvidas
dos medos...

© Anne M. Moor - 2008

5 comentários:

A.Tapadinhas disse...

O céu é o limite!

Beijo celestial (novo:)
António

Marina disse...

Anne, foi tu que compôs esse poema?!
muito bom! olha, tu andas cada vez mais inspirada... só quero ver o que vem no nosso discurso de formatura...
Beijos e bom começo de semana!

Anne M. Moor disse...

António,
Exatamente, mas as vezes entre a terra e o céu rolam medossssssssssss e carências...
Beijos

Anne M. Moor disse...

Marina dear!
Foi sim... :-) Semana que vem vamos começar com as festanças da formatura mas te incluiremos em tudo, podes ter certeza. We're going to go warming up to March!!
Beijão e aproveita Portugal!!

Anne M. Moor disse...

Ahhh e o discurso... Well, ... :-)