quarta-feira, 27 de março de 2013

Prazer


Sentir prazer nas coisas do cotidiano
Cria satisfação com a vida, seja
Boa ou ruim ou nem boa nem ruim.

Quem disse que tem que ser uma
Coisa ou outra? Pode e deve
ser essa diversidade louca!

Delícia de ver as gotas de chuva na janela
Delícia de ver o cinza de um dia de inverno
Delícia de sentir o calor da lareira

Prazer de uma conversa após a ausência
Prazer de uma briga que quebra a rotina
Prazer de ver a vida vibrante e presente!

Sentir o encanto do amor a crescer
A sensação do estar perto sem estar
Exemplo do bom e do ruim juntos.

© Anne M. Moor

20 comentários:

AC Rangel disse...

Pequenas coisas, pequenos sinais, grandes sentimentos. Só quem os vive sabe de sua importância. Vc foi muito sensível ao escrever este Prazer. Lindíssimo.
Beijo

Anne M. Moor disse...

Rangel,

As pequenas coisas muitas vezes dão maior prazer que as grandes... E tem várias maneiras de poetar sobre o prazer...

Beijos

Ava disse...

Anne, pequenos prazeres do cotidiano...

Eu todos os dias, ao sair de casa deparo com um rio majestoso a minha frente... na porta da minha casa... olho aquelas águas mansas, serenas, que calmamente, dia após dia descem lentamente para logo abaixo, cerca uns 800 metros desaguarem numa cachoeira de beleza inenarrável...

Esse prazer, de ter a natureza assim, tão bela, é maravilhosa... e aproveito cada segundo para aproveitar isso que tenho ao alcance dos olhos...


Gosto de como vove escreve... tão solta e livre... poemas leves que inundam a alma...


Beijos em seu coração!

Anne M. Moor disse...

AVA

Obrigada... E que beleza deve ser essa natureza a sua porta!!!

Beijos e uma boa semana pra você.

Walmir Lima disse...

Prazer de sentir é o prazer de viver.
Com esse prazer a gente vê a beleza no bom e até no ruim.
A cada dia sinto minha vida renascendo. É um prazer enorme.

Anne M. Moor disse...

Walmir meu amigo,

Que maravilha! Viva!

Beijão

vittorio disse...

Minha cara Anne
As diversidades, as cores da vida,
os doces matizes a dar significado aos nossos momentos.
Os contrários, nas doses certas o tempero a dar sabor aos nossos dias.
Pequenas e grandes coisas a erigir os castelos das lembranças e dos sentidos.
Em suas muralhas pedras grandes e pequenas se ajustam para dar-lhe sustentação.

A sabedoria do universo, imperceptível e necessária.

beijos
Vittorio

Anne M. Moor disse...

Vittorio

Felizes de nós que conseguimos enxergar a beleza mesmo que na adversidade...

Beijos

Flavio Ferrari disse...

Para isso servem as gripes ...
Quando passa, até respirar sem tossir parece uma benção...

Anne M. Moor disse...

Flavio

rsrsrsrs gostei da tua analogia!!

Beijão

A.Tapadinhas disse...

A vida é feita de pequenos nadas...

Quem procura realizar grandes obras, por exemplo, como salvar o mundo, poderá esquecer-se, de quem está próximo, ao alcance duma mão...

Todas as grandes caminhadas, começam com um pequeno passo...

Beijo.
António

zuleica-poesia disse...

Aconchego e amizade. Companhia para caminhar no dia a dia. E a Anne dando visão de banquete para o nosso feijão com arroz. Abraçoda Zuleica.

Anne disse...

António

De "pequenos nadas" vamos vivendo e vivendo bem... Adorei!!

Beijos

Anne disse...

Zuleica

E o nosso "arroz e feijão" é o banquete no qual construimos nossas vidas...

Obrigada pelo carinho

Vieira Calado disse...

Minha 1ª visita.

Achei o blog interessante e variado.

Beijinho

Anne disse...

Vieira Calado
Obrigada pela visita e volte sempre. Será vem vindo!

Abraços

Ernesto Dias Jr. disse...

Poetando!

Anne M. Moor disse...

Ernesto,

Mais como republicando :-)

Este poema escrevi em 2009, mas cabe à situação atual :-)

Beijão

zuleica-poesia disse...

Prazerosa é a sua poesia. Gostei. Faz tempo que não visito os blogs. Não tenho muito tempo. Hoje passei para deixar-lhe um abraço.

Anne M. Moor disse...

Adorei sua visita.

Grande bj

Anne