sábado, 19 de setembro de 2009

Vozerio


Ouvir-te em meio ao vozerio
que instalado está, traz à tona
gestos, ‘olhares’, atitudes de
acolá a alvitrear a zombaria
e brincar com minha lucidez!

Descobrir-me em silêncios de
introspecção perplexa que
desvela um outro bizarro
no tumulto instaurado de
uma alma provocada!

Desvendar-te seria cavalgar
num cavalo descontrolado
que repentinamente freou!
Pensar-te em meio ao vozerio
do silêncio é sentir-te!

© Anne M. Moor

16 comentários:

Rosemildo Sales Furtado disse...

Ouvir-te em meio ao vozerio
que instalado está, traz à tona
gestos, ‘olhares’, atitudes de
acolá a alvitrar a zombaria
e brincar com minha lucidez!

Perfeito e bastante profundo. Parabéns!

Beijos,

Furtado.

Anne M. Moor disse...

Furtado

obrigada!

Flavio Ferrari disse...

Estás intensa ...

Anne M. Moor disse...

Yes Flávio, por isso gosto tanto de escrever - it gets things out of my system!!!

Recebeste meu e-mail?

Beijão

Ava disse...

Esse vozeirio do silêncio, as vezeos nos ensurdece...

paradoxal isso...rs


Só que tem ouvidos sensíveis consegue ouvir esse vozeirio...

Tua sensibilidade é encantadora...

Beijos e linda semana!

Derek disse...

Lindo!
Só toma as redeas do teu cavalo...

Beijos

A.Tapadinhas disse...

Acabei de chegar, mesmo a tempo de ouvir o silêncio tumultuoso das tuas palavras...

...ouvindo, ainda, o trinado das gargalhadas do meu neto!

Beijo,
António

Carlos Eduardo Leal disse...

Ei Anne,
mas que vozerio lindo! Por favor, me esclareça uma curiosidade: quando é que você vai publicar o seu livro de poesias? Aliás, "Vozerio" é um belo título
bjs

Anne M. Moor disse...

Ava
As vezes minha sensibilidade me atrapalha rsrsrsrs

Beijão

Anne M. Moor disse...

Derek
hahahahahaha acho que não... deixa ele cavalgar livremente, não vai ser eu que vai 'tomar' as rédeas não... :-)

Beijão filho!

Anne M. Moor disse...

António
Os silêncios tumultuosos dão tempero à vida...

Beijos :-)

Anne M. Moor disse...

Carlos Eduardo
De foto, enfim!!!! :-)

Meu livro de poesia? Sei lá... um dia desses quem sabe...

Que bom que gostas do que escrevo...

Beijos

vittorio disse...

Vozeirios, lapsos de si, repletos de não senso
Verdades náufragas na alma atormentada
Vencido me entrego ao amor sorrateiro
Vívido no rumor de um coração apaixonado.

Sempre a despertar a poesia da alma
beijos

Anne M. Moor disse...

Vittorio
Lindo poema no comentário meu amigo!

Beijos

Suzana disse...

Intensa e' pouco!
Consegui reviver um momento assim.
bjs

Anne M. Moor disse...

Suzana

que bom que te fez reviver momentos :-)