segunda-feira, 31 de maio de 2010

As labaredas do aconchego

O frio chegou. Ao terminar uma semana muito cheia sento-me aqui com minha companheira - a gata - e a lareira. O fogo encanta os olhos. As labaredas em um hipnotizar terapeutico a aquecer o corpo e a casa. Um certo cheiro de fumaça enche meu cantinho. Pelas janelas vê-se nuvens cinzas. Vento a farfalhar as folhas das árvores. O chiar do ventar nos pagos do sul fazem música de um ninar diferente. Sopra como um dragão enfurecido pelo corredor do condomínio. O crispar das chamas se contrapõe ao uivar do vento formando uma sinfonia de inverno e de aconchego. Frio na rua e calor na alma traz sentires gostosos. Lembranças de momentos deliciosos guardados nos coração. Paz instaurada. Leitura concretizada. Escrita solta. Amor faz-se com as palavras.

© Anne M. Moor (Coincidentemente, escrevi isto em 31/05/2009)

10 comentários:

Flavio Ferrari disse...

... com uma lareira fica tudo melhor ...

Ana Martins disse...

Escreveu um texto verdadeiramente delicioso Anne!

Beijinhos,
Ana Martins

Anne M. Moor disse...

Flávio: se fica!

Anne M. Moor disse...

Ana: Obrigada!

Bjos
Anne

vittorio disse...

Sinfonia de inverno

Lembranças de momentos deliciosos guardados no coração.
Uma infância distante, revive feito o chispar das labaredas.
Lampejos de imagens de um tempo esquecido.
Crepitam no peito, estalos silenciosos de saudades.

Adorei teu texto, eu adoro o inverno, e claro uma lareira


beijos
Vittorio

Anne M. Moor disse...

Vittorio

Eu idem, mas tem que ter lareira!

Bjos
Anne

Márcia disse...

Minha lareira ainda aguarda.Tomara que eu tenha tanta e tão bela inspiração quanto a tua!Belíssimo texto! Bjs
Márcia Duarte

Anne M. Moor disse...

Olá Márcia!

Saudade...

Bjo
Anne

AC Rangel disse...

Linda lareira, acolhedora, como tu.

beijo

Anne M. Moor disse...

Rangel

Inverno sem lareira é difícil...

Beijos
Anne