sábado, 11 de setembro de 2010

Manhãs


silêncio
da manhã

aconchego

aroma de café
pão torrado

lembranças

conversas
introspectivas

sonhos

paz

© Anne M. Moor
Imagem: Convite para um café (80x100) - António Tapadinhas

25 comentários:

A.Tapadinhas disse...

Tenho uma adoração especial por esse quadro, desde que estive no museu Van Gogh, em Amsterdam.

Sinto o aroma do café e o sabor das cores (ou será ao contrário?), sempre que o vejo.

Quando vou à casa do meu amigo que tem o quadro na parede da sua sala, e me reclino na cadeira bebendo um café, sinto que estou acompanhado por todas as pessoas boas que tenho conhecido...

Juro que a tela tem o fumo do café a soltar-se da chávena quente! Perdeu-se na fotografia, não se perdeu en su sitio...

Obrigado por me trazeres à mente tantas coisas bonitas!

Beijo "en su sitio"
António

Anne M. Moor disse...

António
Esta tua obra transmite a paz que eu senti hoje de manhã a tomar café com o barulho da chuva como pano de fundo. Também gosto muito desta tua tela.

A Arte tem o poder de nos transportar e nos dar esses momentos felizes!

Beijos recebidos :-)
Anne

Ana Martins disse...

Boa noite Anne,
belas estas manhãs, do aconchego e da paz se embelezam os nossos dias.

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

Anne M. Moor disse...

Ana

A vida é feita desses momentos nénão? :-)

Beijos
Anne

Carlos Eduardo Leal disse...

As coisas simples da vida, mas essenciais.Deste quadro, fiz uma releitura e o coloquei no consultório. Ao lado da cadeira está a cama vazia. Cresci tendo pela casa réplicas de Van Gogh. Cresci em meio a Van Gogh. Minha irmã morou em Den Haag (Haia) e pude ficar com ela durante algum tempo. Muitas e tantas vezes pegava o trem só para ir a Amsterdã ao museu de Van Gogh. E ficava por lá, esquecido da vida.
Bj no coração,
CEL

Anne M. Moor disse...

Carlos Eduardo

Uma de minhas filhas morou em Delft, bem perto de Den Haag. Adorava aquilo lá. Este quadro do António transmite uma paz incrível.

E as coisas simples da vida são nossos 'life lines' né?

Beijos
Anne

Luna Sanchez disse...

Está aí um prazer do qual raramente desfruto, sabe? Saio de casa comendo uma maçã pelo caminho e aos fds acordo perto da hora do almoço.

Chato, né, Anne? =\

Beijos de boa semana pra ti!

ℓυηα

Jorge Lemos disse...

Anne


A cadeira vazia
lembra-me a ausência da velha senhora
que carinhosamente me tocava
o quengo e dizia-me coisas
ternas e falava-me de vida.
Ela se foi, a cadeira guardo comigo como a lembrança
da Custócia, minha avó, que me dizia: "nada como um golo de café quente, uma cadeira de palha e o pito aceso e sentir no ar os mil arabescos do fumo que se esvai".
Acho que falei de saudade.
Beijos.
Visite-me e veja Independência.

Lemos

Jorge Lemos disse...

Uma ponte ANNE/ANTONIO

Aqui - neste pouso - encontramos
a sensibilidade de Anne e a genialidade do Antonio. Nós? Privilegiados seres que desfrutam
a beleza das cores e a magia das palavras. ternas inspirações de ambos que nos levam a crer um pouco mais de que a humanidade
existe em sua plenitude.

Ave Vida, Ave Amigos

Lemos

Anne M. Moor disse...

Não Luna, não é chato... É uma fase da vida. Já estive lá. :-))))

Um dia vais aprender como é bom!

Beijos
Anne

Anne M. Moor disse...

Jorge

Lembranças de momentos bons da vida que nos trouxeram até aqui...

Beijão
Anne

Ava disse...

Anne, querida!
Sou obrigada a concordar com o António Tapadinhas, que parece exalar um ligeiro cheiro de café pelo ar, ao ver essa pintura...

E esse cheiro nos trazem tantas lembranças, conversas em roda de uma mesa, infindáveis assuntos, que seus post me tras a memória...

Graça Pereira disse...

O António pintou perfeitamente as palavras da Anne...Café logo pela manhã e o dia a começar tão bem...
Melhor? Não Há! Beijos
Graça

Anne M. Moor disse...

Ava

Aroma de café é inspirador...

Bjos
Anne

Anne M. Moor disse...

Graça

A pintura veio antes das palavras :-))))

Beijão
Anne

vittorio disse...

Você e o Antonio, a cumplicidade das tintas e das palavras, a nos dizer bom dia, saboreando um café repleto de saudades.

Coisas simples, imagens da vida cotidiana, a povoar o tempo das lembranças, lento, profundo imensamente humano.

beijos

Anne M. Moor disse...

Vittorio

Adoro as imagens do cotidiano! São minha vida.

Beijão
Anne

António Tapadinhas disse...

A Anne disse:

António
Vai lá no meu canto - tem gente elogiando tua tela lá...

Beijos com cheiro de café :-)
Anne

15 de Setembro de 2010 01:56

A.Tapadinhas disse...
Anne: Sempre que posso visito o Life... Living...

...por maioria de razão, agora que tem um café apetitoso, cujo aroma chega a este lado do Atlântico...

Portanto, já sabia das palavras amáveis dos amigos que te visitam.

Não respondi porque, como sabes, não me sinto confortável a agradecer os elogios que me são dirigidos...

Não quer dizer que não os sinta! Tocam-me profundamente no coração. Obrigado a todos!

Beijo,
António

Anne M. Moor disse...

António

Por saber disso foi que te chamei pra "falares" :-)))))))))))

Beijo grande
Anne

Luna Sanchez disse...

Anne,

Eu entendi o que quis dizer a respeito das entrelinhas, estava só brincando contigo. ;)

Pode ficar tranquila que não há nada lá além de imaginação, trata-se de um conjunto de textos que eu já queria escrever há tempos, sabe?

Obrigada, viu? Muito, mesmo!

Beijo, beijo, ótima quarta!

ℓυηα

AC Rangel disse...

Anne.
Linda tua poesia. Linda toda poesia que fala em sonho, em paz. Vc sempre gentil, encantadora. É muito bom poder estar aqui.

beijo

Anne M. Moor disse...

Luna

Fico no aguardo dos outros então... Agora fiquei curiosa!

Beijão :-)
Anne

Anne M. Moor disse...

Rangel,

E é muito bom ter-te aqui! Volta!

Beijão
Anne

olhar disse...

Minha querida, acabo de ler só palvras gostosas....é sempre bom estar por aqui!

beijos com carinho,

Bia

Anne M. Moor disse...

Bia, volta sempre. Tão bom a tua participação...

Beijos
Anne