quinta-feira, 7 de outubro de 2010

As labaredas da paixão


Amor completo saber-te a vontade
Em redemoinhos de um sentir sem fim.

Poder olho no olho enxergar paixão
A refletir transformações do sólido ao líquido.

Pairar no ar por entre estrelas
Que brilham, aumentam e vibram.

Movimentos em crescendo de sensações
Órgãos expandidos, molhados, vibrantes.

No auge do sentir, a explosão concreta
De fluídos entrelaçados em cheiros...

De paixão.

© Anne M. Moor

8 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Adorei a primeira linha ...

Anne M. Moor disse...

Flávio, só a 1ª :-)))))))

Como está a dor da costela?

Beijos
Anne

Graça Pereira disse...

Minha Querida
Como descreveste bem o fogo da paixão! Vemos estrelas quando é dia..." No auge do sentir, a explosão concreta.....de paixão"
Subscrevo totalmnte este poema!
beijo e um feliz fds
Graça

Anne M. Moor disse...

Graça

E feliz findi pra ti tbm minha amiga!

Bjos
Anne

AC Rangel disse...

Verdadeira paixão. Linda poesia. Maravilhoso momento.
Beijo

Anne M. Moor disse...

Rangel!

Momentos que geraram sonhos muitos...

Beijos poeta
Anne

Carlos Eduardo Leal disse...

Como saber falar tão bem assim sobre a paixão se não a viveu? Só quem viveu sabe escrever assim.
Bjs

Anne M. Moor disse...

Carlos Eduardo

Viver paixões faz parte de viver!

Obrigada :-)

bjos
Anne