quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Tristezas

É triste ficar triste

Ponto de partida

Para uma reengenharia

Coisas boas entremeadas

Por pequenos desassossegos

Que assopramos pro alto

De tristeza em tristeza

De assopro em assopro

Aprendemos a lidar

Com a vida... Ou não...

© Anne M. Moor

14 comentários:

Anne M. Moor disse...

Há tristezas que calham fundo e levam pedaços de nós! São impossíveis de assoprar pra cima.

Beijos
Anne

Marilyn Forito disse...

Las tristes palabras denotan tu pena y la angustia que sientes en estos momentos. Gracias por compartirlos....de tristeza en tristeza aprendemos a lidiar con la vida.

Beijos,
Marilyn

Anne M. Moor disse...

Marilyn

Hay cosas que nunca aprendemos to deal with!!!!

Gracias por la visita!

Besos
Anne

Ava disse...

Se aprendemos, Anne!

Mas isso não significa que deixamos de tentar de novo, e de novo, e de novo...


Beijos e carinhos meus!

Luna Sanchez disse...

Aprendemos, sim, Anne, temos que aprender, nos devemos isso. E aprender não significa ficar amargo e descrente, apenas mais atento.

Concordo que algumas pesam demais e nem nosso assopro mais forte dá conta de levar pra longe...

Beijoconas mil pra ti, querideza!

ℓυηα

Anne M. Moor disse...

Ava

As vezes tenho as minhas dúvidas!!

Bjos

Anne

Anne M. Moor disse...

Luna

Tu me fazes bem! rsrsrsrs Conseguiste me fazer rir.

Beijos

Anne

A.Tapadinhas disse...

Quando assopramos para cima, não estamos a correr o risco de que nos caia em cima da cabeça?
:)
Beijo,
António

Anne M. Moor disse...

Antonio

Acho que é isso que aconteceu comigo ontem!!!! Vou começar a assoprar pro lado... :-)

Beijos
Anne

Ediane Acunha disse...

Fui aluna da Letras, mas não consegui continuar e não cheguei a ser tua aluna. Vi teu blog nos favoritos de uma amiga, a Gizza, olhei e adorei. Agora leio todos os dias.

Anne M. Moor disse...

Ediane

Espero que agora participes tbm por aqui. Adoro comentários e serás sempre bem vinda!

Bjos
Anne

Luna Sanchez disse...

Obaaaaaaaa! Fico feliz, então! ;)

Beijos.

ℓυηα

vittorio disse...

As lágrimas são as vozes silenciosas
da alma.
Linguagem dos nossos sentimentos mais profundos
Espelhos diluídos em cristais pingentes a derramar imagens
Imagens que desnudam perante Deus
a nossa humanidade.

Minha cara amiga a vida é um somatório de infinitos instantes
a colorir as páginas de nossos dias.

Impressas nas cores da alma, a retratar a sua essência nas nuances de todos os sentires.

Ah a vida, nem boa nem má, nem bela nem feia, nem alegre nem triste,...
Por fim a vida há de ser o que de nós nela existe.

Beijos
a minha poetisa maior

Anne M. Moor disse...

Vittorio

Meu poeta maior! Quando vais publicar teus poemas? Lindos!

Adorei especialmente "Por fim a vida há de ser o que de nós nela existe."

Beijos
Anne