sábado, 12 de fevereiro de 2011

Alamedas


A melodia da vida embala o andar
Sentimentos brincam entre si
E com meu coração!

Tantas vezes deparei-me com
Os dois caminhos do Frost
Uma forquilha a me provocar!

Tomava o que tapado de verde
Chamava-me pela beleza e aroma
Virava as costas ao outro!

Aprendi a ver o outro com olhos
apaixonados da alma e da experiência
Cansei do igual, do ‘seguro’, escolhi
O diferente. Sem arrependimentos!

©Anne M. Moor

8 comentários:

Fernanda disse...

Bom dia Anne!

Escolheste bem! Na diferença está o encanto.

Amiga, também tenho aulas de dança :)
Vamos actuar agora no Carnaval mesmo que seja um fiasco :)))) Vou-me divertir imenso e nada me faz melhor à alma e ao corpo.

Beijos
Bfs.

olhar disse...

Anne querida,

passo aqui para lhe desejar um lindo final de semana!

beijos,

Bia

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Querida Anne, nossa vida, muitas vezes, nos induzem a um recolhimento de previdência e prudência.... ua vida sem riscos.... Aí, acordamos com uma serenata de canções que soam nas nossas lembranças, e dissemos: para! sem vida, também, não!
Belo poema ... uma tradução desta encruzilhada humana.
Voar no infinito com os riscos...
Porém, não mergulhar no abismo, onde não existem estrelas para conosco aliarem-se na luta contra os riscos,
Abraços, com profundos e ternos carinhos, Jorge Bichuetti

Maria disse...

Anne,

A sintonia da vida fez com que postassemos estradas. A minha, milenar, cravada pelos romanos as margens do mediterraneo, reflete o sol do entardecer na Libia. Bifurcações unidas pela mesmo estado. A escolha de viver sem arrependimentos.

BJS

Anne M. Moor disse...



A dança é um exercício aeróbico que faz mais bem pra alma e a mente do que pro corpo :-)

bjos
Anne

Anne M. Moor disse...

Bia, e um excelente findi pra ti.

bjos
Anne

Anne M. Moor disse...

Jorge

Riscos

O traçado da vida ensina-nos
A desafiar momentos desenhados
Por ventos e redemoinhos.

Desafios em duelos musicados
Brincam com o improviso de
Vidas povoadas de carências.

Riscos delineados por sentires
Esboçam portas com histórias
E memórias que atiçam.

Arriscar-se ou riscar-se é pular
No abismo de uma vida que nos
aponta para alamedas do caminho.

© Anne M. Moor

beijos de quem já pulou no abismo de braços abertos. :-)
Anne

Anne M. Moor disse...

Graça, irmã de pensamentos!

E não me arrependo. Tem sido uma vida de descobertas!

bjos
Anne