quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Momento filosófico de duas trigueiras


Saudades de tempos leves de sedução
Momentos de ouro que reconhecemos
Ao deixar a felicidade nos invadir
Lances ímpares de vida intensa!

Que mais queremos?
Temos a quem amar.
Temos alguém a nos amar.
E estações de ouro vez por outra.

Vivemos uma liberdade consciente
Com a incoerência de deliciarmo-nos
Sabendo que importamos para alguém
Ato inerente ao ser humano.

© Anne M. Moor

12 comentários:

Silvia King Jeck disse...

Acredito que as duas trigueiras sejam minhas amadas amigas...Meu Deus, é inspiração que não acaba mais....
Bjos mil

Márcia disse...

Ah, Anne falas tão bem do amor! Lindo teu texto! bjs

Anne disse...

Bom dia Silvia

Elas mesmas rsrsrsrs

beijão
Anne

Anne disse...

Márcia, minha fiel leitora...

Obrigada!

bjs
Anne

Maria disse...

Leve sedução.
Carrega a vida como o tronco navega o rio. Felicidade é estar ali, naquele instante. Plena. Corpo e coração

Ana Martins disse...

Anne, boa noite!
E que momento filosófico... Brilhante!

Beijinho,
Ana Martins

Anne disse...

Graça, as vezes tenho minhas duvidas!

beijao
Anne

Anne disse...

Ana

Obrigada minha amiga!

bjs
Anne

A.Tapadinhas disse...

Esse banco deserto é um convite para me sentar a contemplar o que, por ser sempre diferente, nunca nos cansa: a beleza do céu e da água, origem da vida...

As tuas palavras também têm esse condão!

Beijo,
António

Finalmente! E agora, quanto mais tempo até me contares o que sentiste a ler "Sargos para o Jantar"? Despacha-te!!! :)

Anne disse...

António

Fazes um bem pro meu ego rsrsrsrs. A foto é de onde uma de minhas filhas vai morar na Holanda. Lindo né...

Segunda estarei em casa e durante essa semana devo ir a Porto Alegre pegar meu livro :-)

beijos sorridentes
Anne

Graça Pereira disse...

Poema com filosofia ou com amor?? ADOREI!!
Beijo doce
Graça

Anne disse...

Graça

Com as duas, com as duas :-) Que bom que gostaste!

bjs
Anne