domingo, 4 de março de 2007

As vezes, a solidão nos pega pela güela e apeeeeeeeeeeeeeeeeerta... Shit!!!!
Serenata (Cecília Meireles)

"... Permita que eu feche os meus olhos,
pois é muito longe e tão tarde!
Pensei que era apenas demora,
e cantando pus-me a esperar-te.

Permite que agora emudeça:
que me conforme em ser sozinha.
Há uma doce luz no silencio,
e a dor é de origem divina.

Permite que eu volte o meu rosto
para um céu maior que este mundo,
e aprenda a ser dócil no sonho
como as estrelas no seu rumo ... "

6 comentários:

Udi disse...

...assim como Flávio não está ausente, você não está só, amiga!

Anne M. Moor disse...

Udi, que bom ver isso! Obrigada! E como diz o Ernesto, vcs, amigos que fiz por aqui, são "definitivamente meus Botox"... :-)
Bj
PS: Tens um blog? Teu nome leva para um aviso de blogger sem permissão de acessar????

Zuleica disse...

Aqui estou eu, a Zuleica, amando as tuas escolhas literárias. Adorei Cecília Meireles.

Anne M. Moor disse...

Que bom Zuleica... Também adoro Cecília Meireles. Ela tem uma maneira magistral de dizer o que sentimos... :-)

udi disse...

Anne, querida, nem eu sei como aconteceu de aparecer um link para meu perfil no Blogger... cheguei a imaginar que alguém o tivesse feito, utilizando meu enderço do Gmail, mas não sei se é possível.
Estou pensando seriamente em um blog (como já viu manifestado em meus comentários no Assertiva), mas o ego ainda não está permitindo, que sabe um pouco mais de prática de meditação e desapego e chego lá.
bj!

Anne M. Moor disse...

Pensa com carinho... É muito bom. É um lugar de reunião, é uma válvula de escape, é divertido ... é leitura e escritura.