quarta-feira, 6 de junho de 2007

Esta é uma fotografia de um artigo das «Selecções», que se chama “O abraço salvador” e relata um episódio da vida de duas gêmeas, cujos primeiros dias foram passados em suas respectivas incubadoras, sendo que para uma delas não havia esperança de que sobrevivesse. A enfermeira chefe da unidade, contra todas as regras existentes, decidiu juntar as duas irmãs, e o que aconteceu foi verdadeiramente espantoso e comovente: a bebê que se encontrava bem, abraçou a sua irmãzinha moribunda, conseguindo, com o calor do seu corpo, o milagre de lhe regular a temperatura e pulso, o que permitiu estabilizar o ritmo cardíaco da sua gêmea... Aqui fica este testemunho da importância de um abraço e do bem que este pode fazer...

Você já abraçou alguém hoje?


5 comentários:

Udi disse...

Receba aí meu abraço... e 1 beijo também

Ernesto Dias Jr. disse...

Estou fazendo um alongamento pra abraçar alguém... muito longe. (E ao mesmo tempo tão perto)

Anne M. Moor disse...

Obrigada Udi e Ernesto. Não precisa de alongamento não, usa a imaginação que chega aqui...
Beijo grande

Maria Helena disse...

Anne, que lindo!

Amei a foto e o fato dessas bebezinhas. Lembrei-me também de minhas priminhas gêmeas, hoje com mais de seis anos, mas nascidas com menos de dois quilinhos!
A vida é linda , por isso precisamos sempre vivê-la da melhor forma: vivendo, amando e aprendendo!
Um pouquinho atrasada, mas calor humano é sempre bom e gostoso, como ler Shakespeare, em qualquer fase da vida.
Portanto, um grande e apertado abraço de uma jundiaiense afetiva.
Beijos,
Maria Helena

Anne M. Moor disse...

Que bommmmmmmmmmmmm te ver por aqui Maria Helena. Tens gêmeas então? Que maravilha!!! Aparece sempre, serás sempre bem vinda.
Bjão