quarta-feira, 15 de agosto de 2007


Confiança

O que é bonito neste mundo, e anima,
É ver que na vindima
De cada sonho
Fica a cepa a sonhar outra aventura...
E que a doçura
Que se não prova
Se transfigura
Numa doçura
Muito mais pura
E muito mais nova...

by Miguel Torga

17 comentários:

Ernesto Dias Jr. disse...

Provas as uvas do mesmo pé, a cada estação...

Maria disse...

Deus bendiga as cepas que sonham. Não saberia viver sem sonhar.

Udi disse...

...e fé!

Anne M. Moor disse...

Ernesto: e cada vez melhores...

Maria: Welcome back luv! A vida é feita de sonhos e possibilidades...

Udi: Sempre!

Gui Ferrari disse...

Sonhar pode ser algo muito PRESENTE!

Jorge Lemos disse...

Não estão verdes, com certeza!

Anne M. Moor disse...

Gui: Sonhos estão sempre presente sim e muito bons...

Jorge: Não, não estão. Bom te ver por aqui... :-)

Flavio Ferrari disse...

Alma diabética é um porre !

Flavio Ferrari disse...

Tem gente que não pode experimentar a doçura porque lhe faz mal ao espírito. É obrigado a viver a insulina que lhe consome a doçura da vida.

Anne M. Moor disse...

Que horrorrrrrrrr, mas, como sempre na mosca... E como tem. Pena é o que se deve ter de pessoas assim.

Walmir Lima disse...

Presente, professora!

Walmir Lima disse...

Tipo II.

Walmir Lima disse...

Não de alma, mas de pâncreas, mesmo!

Anne M. Moor disse...

Amigo e companheiro até de pâncreas... :-) Desses não há que se ter pena, é simplesmente mais um desafio na vida a ser vencido, não é não???

Walmir Lima disse...

Um DOCE comentário de incentivo!

Anne M. Moor disse...

It's with us, so let's learn to live with it... Not so bad either...

É! disse...

não sei se um porre...
acho que os tais "diabéticos" se lambuzaram tanto com o doce que sofreram uma overdose...
E veja como pode ser bonito o ritual, que para mim, parece tão doloroso (depois eu explico):
todos os dias, pela manhã, essas pessoas precisam da sua dose de insulina para poder aproveitar o doce da vida... Assim, ele até parece mais gostoso.

Mas concordo que tem gente que prefere viver o amargor da vida...
Quisera o diabético ter essa opção...
Uns com tanto e uns com tão pouco...