sábado, 5 de janeiro de 2008

A eloqüência do silêncio...

Aprendi nos últimos 3 anos que o silêncio pode ser um lugar comum. Quando deixamos o silêncio tomar o seu curso, a alma fala pelos olhos, pelo sentir. Acordar de manhã e sentir o silêncio da ausência física, mas sentir profundamente a presença da pessoa amada tomar conta do corpo e da alma é algo que aprendi que é verdade! E como é...!

Aprender a viver em continentes diferentes separados por um oceano tem sido aprender a ter uma visão de estrelas em vez de uma visão de brejo. "Simples ou nem tanto"? Nem tanto! Mas a cumplicidade, companheirismo, desejo e paixão que brotou e instalou-se de um 'estar juntos' diariamente por tanto tempo é o que faz deste momento 'nem tanto' um sentir tão simples...


© Anne M. Moor - 05/01/2008

14 comentários:

Jorge Lemos disse...

Acertou o alvo: "cumplicidade", este o termo.
Bj menina.

Udi disse...

Parece que você nos ensina como tornar simples o "nem tanto".
beijo

Anne M. Moor disse...

Jorge e Udi: Cumplicidade é um sentimento muito gostoso, e precisamos aprender a cada dia a tornar simples o que, na realidade, é simples...

Jane Cunha disse...

Oi, Anne!
Quero te desejar tudo de bom neste ano que recomeça! Agradeço, de coração as pakavras gentis que deixas-te no meu blog. Como toda mãe coruja também concordo com os elogios dados à minha filhota! Tenho um imenso orgulho pelas filhas que Deus me deu.
Sempre é tempo para amar e ser amada! Fico muito contente por ela e por ti e, muito orgulhosa por ela ser fonte de inspiração para escreveres sobre o amor que estás vivendo. Bj

Flavio Ferrari disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flavio Ferrari disse...

... ainda que ficar abraçadinho em silêncio seja melhor ...

Ernesto Dias Jr. disse...

Quando passas a gostar do silêncio do outro,
Das duas uma:
Ou é um alívio, ou achaste o que procuravas.

vittorio disse...

As decisões tomadas sabe-se lá como, pela razão, pela emoção, pela experiência,pela expectativa, pela urgência, pela solidão, pela negligência, pela inocência, pela paixão,...
nos trazem as suas consequências e estas nos fazem ponderar sobre o que obtemos desta situação.

"Simples ou nem tanto", traz um mundo de significados somente para quem os vive ou viveu.

Na diversidade dos sentimentos humanos está a magia da vida, é nela que se desenrolam os atos de nossa existência.

Estou convencido de que o amor é um ato de cumplicidade.
Que seja eterno enquanto dure.... a cumplicidade.

Anne M. Moor disse...

Flávio: Certamente... Metas de 2008!!! E um dos 'medos' a ser enfrentado.

Ernesto: ou achaste o que era pra fazer parte da tua vida... amores nem sempre a gente procura, elas surgem!

Vittorio: a cumplicidade e o amor

A.Tapadinhas disse...

Neste momento estou só em frente do computador... mas estarei mesmo só? Não teremos, sem saber, em todos estes milhões de circuitos o fio de Ariane?
Beijo por um fio.
António

zuleica-poesia disse...

Anne, pelo que entendi você está apaixonada e é correspondida. HURRAAAA! Pelo que entendi você tem um afeto do outro lado do mar (ou é só força de expressão?) Que maravilha! 2008 começou com ótimas notícias!-Abraço-zuleica

Anne M. Moor disse...

António: Boa metáfora de relações que se desenvolvem pela internet... Modelos novos... Não tinha pensado assim, mas se assemelha a uma rede que se forma de empatias, sentires e amizades.
Beijos

Anne M. Moor disse...

Zuleica: na mosca!

Flavio Ferrari disse...

Anne: veja que mãe experiente ... acha uma maravilha que o "afeto" esteja do outro lado do mar ...