segunda-feira, 7 de janeiro de 2008


a onda

ao bater nas rochas
espirra alegre fracionada
o grito chuá de felicidade

by Beto Quelhas -
http://www.germinaliteratura.com.br/bq.htm
Foto: Felicidade "pelos meus olhos" - praia de Punta del Diablo (Uruguay)

13 comentários:

Suzana disse...

Tá vendo?!
Não durmo sem passar por aqui!
bjs
e.t.: Que bom que a gente também vicia com coisas boas,né?!

Walmir Lima disse...

A beleza viciante
Na garimpagem brilhante
Da Anne Moor.
Um vício da beleza, o que não faz mal e só 'engorda' os olhos.

A.Tapadinhas disse...

O mar bate na rocha mas quem se "trama" (imagina aqui um palavrão, bem forte) é o mexilhão.
Beijo... salgado
António

Jorge Lemos disse...

Beleza recorrente: o movel e o imóvel.
O chuá, (onomatopéia)
vai por conta do espoucar do belo dentro da gente.

Anne M. Moor disse...

Como é bom acordar de manhã e encontrar os amigos aqui com tanto carinho!!!
Suzana: Ainda bem :-)

Walmir: Desde só engordo os olhos!!! Esta praia é aqui perto e é linda!

António: Mexilhões!! Me levam a minha infância!

Jorge: onomatopéias são uma constante em inglês e impossíveis de serem traduzidas a maioria! Mas o 'chuá' do mar contra as rochas é maravilhoso...

Beijos matinais a todos!

Angela disse...

Vou dizer a você também:
"Quando a gente fica em frente ao mar, a gente se sente melhor". A letra A - Nando Reis)
Bjo
(Eba! Que cê tá feliz! Eba!)

Anne M. Moor disse...

Angela: Estou :-) Bjos procê!

disse...

Putz, que grande sacada essa.
Muito legal.
Bjo
Lú.

Jorge Lemos disse...

Guardei a imagem e o Georginho vai pintar um quadro.

vittorio disse...

O mar, desde pequeno traz-me a nostalgia da minha terra distante.
Ao cruzar a imensidão, azul vastidão silenciosa salpicada de alva espuma, mais e mais distante ficavam minhas lembranças de criança.
Hoje ao ver as alvas espumas surgirem ao fragor das ondas, sinto de mim fugirem as imagens distantes de um menino.
Tal qual a pedra procuro reter as águas no seu constante movimento, mas já vencido pelo tempo, vou perdendo a força e me encontro cada vez mais em mar revolto, naufrago do meu destino.
O mar as ondas e o menino.
Grazie per avere svegliato il picolo italiano in me.

Anne M. Moor disse...

Lú: qdo vieres, te levo a esta praia...

Jorge: Que maravilha! Dá um bj no Georginho.

Vittorio: Que bom que te trouxe lembranças da tua infância. Nunca voltaste pra Itália?

vittorio disse...

Voltei sim a trabalho algumas vezes, mas sempre insuficiente para matar a saudade.
Hoje o meu filho mora em Milão, esta trabalhando como chefe de cozinha, está lá a dez meses.
Quem sabe se neste ano eu aproveito e revejo a minha terra e o meu filhão.

Anne M. Moor disse...

Que maravilha Vittorio! Tenho uma filha indo morar na Espanha este ano... Vou sentir uma saudade imensa... Mas estou muito orgulhosa dela!