sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Impossibilidades


difícil é sentir as possibilidades
esvaindo-se contra a vontade
tal qual areia fina por entre os dedos...


© Anne M. Moor – 22/02/2008
Figura: http://www.istockphoto.com/

14 comentários:

ANA disse...

Muito difícil,
como intentar retener el agua en una cesta.

Un beso Anne, good week-end.
ana

Anne M. Moor disse...

Ana: y peor quando no se quiere dejar ir...
besos

A.Tapadinhas disse...

Impossível é encontrar uma faca sem lâmina da qual se perdeu o cabo...

"Quando já eliminaste o impossível, o que sobra, por mais improvável que pareça, só pode ser a verdade". Sir A.C. Doyle
Beijo virtual.
António

Anne M. Moor disse...

António: E a verdade dói!!! Mas como tudo, entra na fila pra andar...
Beijos virtualizados

Zé Carlos disse...

Anne querida, precisamos aprender que; "difícil é sentir as possibilidades esvaindo-se contra a vontade tal qual areia fina por entre os dedos... e cuidar para manter a postura !!!

Bjs do Zé Carlos

Anne M. Moor disse...

Zé Carlos: Já se foi o tempo em que eu perdia a postura... Agora só tenho vontade mas sei que não vale a pena!
Beijos

Suzana disse...

Por mais que a areia acabe, se observar bem de pertinho,sempre "gruda" alguns grãos na mão. Dai temos duas opções,ou lavamos as mãos para que o que restou também vá embora,ou usufruímos deste benefício que ficou.
bjs

Climber disse...

A areia que antes tinha o formato das mãos, enquanto estava lá. Toma agora outra forma. Mas ainda segue areia. Se olhar raso vê-se a perda. Se olhar profundo, ainda existe a areia. Transformada. Como tudo tem de ser na vida. Mesmo que nosso coração e mente relute em aceitar. A areia está ali, pronta e em nova forma.

Anne M. Moor disse...

Suzana, Suzana, pensamos muito iguais... :-)

Anne M. Moor disse...

Climber, que coisa bonita e bem dita!!! Obrigada por me lembrar dessa verdade.

Walmir Lima disse...

O vento sabe para onde leva a areia. A vontade sabe para onde leva os pensamentos e desejos. Tudo é um mar de possibilidades. É difícil, mas, é preciso ter vontade e saber fechar os dedos.

Anne M. Moor disse...

Walmir: "É preciso saber fechar os dedos" para que não fujam as esperanças, mas é também preciso abrir a mão para deixar voar os sentimentos...

vittorio disse...

Complementando a anterior, tudo é um constante aprendizado, somos o que somos por uma infinidade de escolhas conscientes ou não.
O fato em si, o de poder perceber a nossa impotência diante de tantas situações é por si só maravilhoso, cabe a nós suplantar os obstáculos e crescer, ou perceber que existem coisas que não podemos controlar e convivermos com a nossa insignificância diante da magnitude do universo.

Anne M. Moor disse...

É Vittorio, as vezes essa impotência dá uma aflição danada!!!!! By the way, como foi a tua apresentação na Academia???