terça-feira, 6 de maio de 2008

Teias


banho traz à memória teia —
imagens de mulheres
ambas a olhar ao solo
em gesto de aparente meiguice

telas de fascínio presente
em luz que repica e rebrilha
enredo de repouso fingido
a irradiar luz e movimento

tramas de luz em respingos
languidez iluminada na fusão
de corpos e fios enroscados

almas envoltas em redes
teias concebidas em cor e luzeiro
candeio irradiado em sedução

© Anne M. Moor – 2008
Inspirado nas telas de António Tapadinhas – Banho de Luz e Teia de Luz

10 comentários:

A.Tapadinhas disse...

As minhas deusas, sob a sua aparente meiguice e tranquilidade, escondem vulcões de sedução, que a qualquer momento podem entrar em erupção, como Krakatoas adormecidos...
Beijo em alerta. :)
António

Anne M. Moor disse...

Hahahahahaha António, em alerta ficarei...
Beijos alertados :-)

Clarisse disse...

se teias tecem telas, se almas tramam corpos, nascem as palavras para expressarem o constante sentir... li e envolvi-me com as imagens e palavras. a-d-o-r-e-i!! Bjo!

Anne M. Moor disse...

Clarisse,
Que bom! Teias, telas, almas e corpos é o que está por detrás desses quadros e da vida, né não?
Beijos

Suzana disse...

A trama da vida é feita com fios tÊnues de momentos vividos.

bjs

Ernesto Dias Jr. disse...

Não adianta. Os posts hoje só estão disparando refrões por aqui.

Tomo um banho de luuuaaaa
Fico branca como a neveeeee
O luar é meu amigoooooo
Duvidar ninguém se atreveeeee

Angela disse...

Alma feminina
Muitas em uma
Banho de sedução.

Tão bem retratada nas telas e poema.
Parabéns aos dois artistas.
Bjos

Anne M. Moor disse...

E o movimento da trama é vida presente, Suzana.
Beijinhos

Anne M. Moor disse...

Ernesto, achei que eras mais moço que eu... Essa música é do meu tempo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! :-)
Beijos

Anne M. Moor disse...

Angela e alma feminina agradece :-) O movimento e a cor que a retrata é constante nos quadros do António.
Beijos