segunda-feira, 7 de julho de 2008

Silêncios

Silêncio e introspecção
parecem pairar no ar.

A aldeia bloguenígena
instaurou a vírgula...
ou seria o ponto e vírgula?

Os 'cafés' borbulham na espera
da volta, para um saboreio gostoso.

© Anne M. Moor - 2008

10 comentários:

A.Tapadinhas disse...

Acabei de ler o livro
"O Codex 632" de José Rodrigues das Santos (23 edições 130.000 exemplares), um romance sobre os descobrimentos dos portugueses, escrito à maneira de Dan Brown em "O Código Da Vinci". Foi mais fácil descodificar o livro que o teu poema. O que se passa? Há algo que eu devia saber?
Beijo interrogativo.
António

Anne M. Moor disse...

António,
hahahahaha Nada pra ser decifrado. Simplesmente todos mundo da aldeia parece ter sumido junto...
Será que isso quer dizer algo??? :P Foram tomar 'café' em outra freguesia... hahahaha
Beijo explicativo

Maria disse...

Anne,
São os tempos dos equinócios, este vento que nos remete nos cantinhos quentes e unicos de nossas almas. Veste-sem de amores e sabores, de quietudes...psiu!
Bjs

Maria disse...

O Erro...acho que proposital.

hehehe

Derek disse...

Será o inverno?

Anne M. Moor disse...

Graça e Derek,
Vai ver que é o friozinho... :-) O café espera...

Flavio Ferrari disse...

No meu caso é o frio e o excesso de trabalho.
Mas o frio vem primeiro...

Anne M. Moor disse...

Flávio,
Queres expresso, cappuccino ou ... Fazes falta na roda!
Beijo grande

Suzana disse...

Anne,
Creio em sintonia e assim, cada um com seu cada um vivem um hiato, por vezes!
Normal!

bjs

Clarisse disse...

seriam as sementes vivendo a latencia no inverno para aflorar na primavera??? bjos!