quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Respeito e Lealdade

o cerne do amor encontra-se na lealdade e no respeito
momentos íntimos entre duas pessoas em sintonia ou não

o início surge de razões as vezes indecifráveis, mas intensas
o fim nem sempre ocorre ao mesmo tempo para os envolvidos

entender uma relação é privilégio de poucos, respeitar a si e ao outro,
arraigado na maturidade, vem de alguém e de uma relação verdadeira...

© Anne M. Moor - 2008

14 comentários:

Suzana disse...

E da perda do medo de ser feliz.
Viva o amor, o discernimento, o respeito, a amizade,a entrega e a maturidade.

bjs

Michele Moura disse...

Pois é... Tanta gente por aí querendo conhecer e amar alguém quando não conhecem ou amam a si mesmos... É trsite!

bjos

P.S.: Quando tuas lindas poesias irão compor um livro que não o da vida?

Anne M. Moor disse...

Suzana,
Poissssssssss. Mas há pessoas que no afã de achar 'culpas' acha mais fácil as colocar nas costas do 'outro' em vez de olhar pro seu umbigo!!! E aí o respeito sai voando pela janela!!!

Anne M. Moor disse...

Michele,
I've been thinking about it... :-) Um dia sai...
Beijão

Angela disse...

Acredito que intimidade é aquele tempinho que a gente fica assim, aninhada, com a cabeça lá na parte mais suave do corpo do nosso amado, aquele lugarzinho perfeito, um pouquinho acima do coração, junto ao ombro.
É nesse momento que a gente se resguarda, e abandona nossos medos.

Só quem tem essa pequena área à nossa disposição, merece o nosso amor.

Bjo

Angela disse...

Anne,

E botar as próprias culpas nas costas do outro é a mais banal demonstração de fraqueza e incapacidade de crescer.

Amanda Arthur disse...

Perfeito, Angela!
Penso "O mundo pode acabar agora que eotu feliz!" quando etou assim, aninhada, no colo do meu amor.
Anne, novamente colocando poesia em nossa telinha. Beijo grande pra você e ótimo fim de semana.

Anne M. Moor disse...

Angela:
Esse lugarezinho é uma delícia mesmo, mesmo virtual... :-) Na realidade, é um sentir virtual de algo que tanto pode ser presencial ou a distância. É onde nos sentimos aconchegados e seguros...

Anne M. Moor disse...

Obrigada Amanda!

O Theo está a coisa mais linda. Parabéns...

Bjão

Conde Vlad Drakuléa disse...

Lindo e verdadeiro Anne, como podemos achar que podemos amar sem nos conhecer o mínimo que seja? Muita imprudência eu acho... Por que será que os jovens são tão imprudentes? Se bem que hoje em dia, a imprudência nestas questões amorosas já beira a raia do absurdo!
Realmente o amor é uma febre que nos tira completamente o senso de lógica e discernimento, a paixão nem se fala!!! Adorei seu blog, ele tem muito valor, é uma jóia!
Grande abraço do conde! :)

Michele Moura disse...

Os sonhos por vezes são proféticos, por vezes apenas expressam o que se esconde no lado das sombras - o mais profundo - do nosso incosnciente.

Eu ando tentando dar novos rumos pra minha vida, de maneira que eu tenha estabilidade financeira mas tenha tempo pra mim mesma.

A saúde vai bem agora, o resto vem na hora certa. Se Deus quiser eu começo 2009 com emprego novo! Planos ainda...

Ah! Me avisa quando sair o livro. Eu quero um exemplar e autografado!

bjos minha querida

Anne M. Moor disse...

Conde,
Obrigada e volta sempre. Escrever pra mim é um prolongamento de minha vida... E adoro ser lida...
Abraços :-)

Flavio Ferrari disse...

Plenamente de acordo.
Tesão é uma delícia.
Paixão uma energia boa.
Amor, uma dádiva.
Mas sem respeito e lealdade não há relação que dure mais do que 15 minutos.

Anne M. Moor disse...

Quite... Nem antes, nem durante e nem depois...
Beijão FF