domingo, 12 de dezembro de 2010

Explosão


O estouro da luz
Surge do nada
Ao sentar quieta
A cogitar momentos
Possíveis

Certezas se armam
Contra a vontade
A futricar no que
Temos de mais
Inseguro

Um clarão imenso
Em que se nota
Algo em bruma
Que não queremos
Ver

© Anne M. Moor

6 comentários:

Jorge Lemos disse...

Assim a vida se põe
ao deixar atraz
o fulgor dos momentos

Que arte sublime
a da palavra
traduzindos os sinais

Anne
sempre os grande finais
nos deixa a ilusão
de uma explosão


Captei

Anne M. Moor disse...

Jorge, essas traduções as vezes nos surpreendem...

beijão
Anne

Luna Sanchez disse...

É, a verdade se impõe com uma força tão natural e certa, que nos desarma.

Não há mesmo o que fazer quando algo assim acontece...

Beijo, querida. Ótima semana pra ti.

ℓυηα

Anne M. Moor disse...

Luna

E ótima semana pra ti. :-)

bjos
Anne

AC Rangel disse...

E quantas são as coisas que não queremos ver? E quantas as explosões que gostaríamos de ter?

beijo

Anne M. Moor disse...

Rangel

Muitas e tantas...

bjos

Anne