sábado, 22 de janeiro de 2011

Esperança


Ao perambular por faíscas no breu do pensamento,
diversas cores estouram alucinadamente a levar-me
em errante caminho de múltiplos desvios misteriosos.
Busca constante de não sei bem o quê...
A animação das centelhas fascina-me. Faz com que
meus olhos busquem, no redemoinho da noite,
esperança, perspectiva, possibilidade de engenho e arte.
O movimento espiral hipnótico dá vida ao parado...
Ao ler as fagulhas pensantes irrequietas de minha vida
vejo e sinto esperança em mergulho profundo
pelo oscilar do pêndulo do viver com amor.

© Anne M. Moor
Imagen: www.robotpegasys.com

2 comentários:

AC Rangel disse...

Ah! Doce esperança...
Lindo.

Anne M. Moor disse...

Rangel

A esperança é sempre doce né?

beijos
Anne