quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Avalanche


Sinto a alma a rodopiar
em absoluta desordem
a mostrar prazer.

Um movimento flutuante
a perder-se nas curvas
do sentir.

Um balançar de galhos
me aconchega em
abraços.

Surpreendente burburinho
ferve no vento
do momento.

© Anne M. Moor

6 comentários:

A.Tapadinhas disse...

Ferve no vento?

Não te preocupes. São os efeitos secundários da viagem de moto...
:)
Beijo,
António

Anne M. Moor disse...

António

rsrsrsrsrsrsrs Não me preocupo não. É uma sensação muito boa.

beijos desordenados :-)

Anne

Graça Pereira disse...

Estou como o António: não serão ainda efeitos da viagem de moto?
Sei que não! Há momentos que a alma rodopia mesmo e até receamos que ela saia por aí contando a toda gente como estamos felizes.
Beijo
Graça

Anne M. Moor disse...

Graça

É mesmo e não deixa de ser resquícios da viagem :-)

beijos
Anne

AC Rangel disse...

Vc escreve de um jeito que me faz acreditar que a felicidade é mesmo feita de coisas simples.
Linda demonstração de felicidade em palavras...

Parabéns e um beijo

Anne M. Moor disse...

Rangel

E não é? Nós é que complicamos a vida!

beijão
Anne