sábado, 5 de fevereiro de 2011

Felicidade


Ser feliz é uma escolha.
Não fazer cobranças inúteis uma decisão.
Aprender a enxergar a felicidade em minha vida
como algo interno e meu
tem sido uma caminhada
longa e árdua,
cheia de desvios e tropeços.

by Anne M. Moor (em Redes, trilhas e estrelas - Uma caminhada de vida)

10 comentários:

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Anne, sua poesia traduz a grande rota dos que almejam , de fato, a felicidade: isto venho partilhando com as pessoas no meu trabalho de psicoterapeuta...
Um poema com a delicadeza deuma violeta, porém, com o chamado para que voemos alto junto das águias...
Diminiur nossas expectativas é libertário...
Com carinho, Jorge Bichuetti

Anne M. Moor disse...

Jorge

Tens razão, não ter expectativas é sim libertário, mas o limite entre elas e a esperança é tênue... Se bem que as expectativas chamam a cobrança e a esperança não, que com "policiamento" :-) mantém as expectativas dormindo. rsrsrs

bj e bom domingo.
Anne

Jorge Lemos disse...

Anne

Curioso como vi a placa (signos)
indicam-me o caminho.
Só os poetas enxergam, com certeza!
Bjs.
Lemos

Anne M. Moor disse...

Os poetas meu lindo Jorge Lemos sabem ler nas entrelinhas e enxergar fundo!

Beijão pra ti e pra Stephania

Anne

Carlos Eduardo Leal disse...

"Aprender a enxergar a felicidade"...Gostaria de ter teus olhos para avistá-la de longe, ou melhor, transmiti-la aos outros. Carinho enorme e admiração de sempre,
bjs

Anne M. Moor disse...

Carlos Eduardo

Nem sempre "enxergo"... :-) mas escolho...

Estive com 3 amigas tuas ficando aqui em casa: Silvia, Angela e Ivone. Nos divertimos um monte!

beijos
Anne

Marta Rúbia de Rezende disse...

Anne vim aqui passear. E adorei. Só não fico mais hoje porque estou no meu limite. Cansada. Mas voltarei. Voltarei porque sua poesia é bela e você uma delicada fortaleza. Parabéns pelo blog.

Como vc gosta de livros e estou sem palavras hoje para escrever o meu, colo logo abaixo esse do Deleuze que dá um recado muito importante sobre livros e leitura.

"Defendo relações moleculares com os autores que lêem. Encontrem o que lhes agrada, não passem jamais um segundo criticando algo ou alguém. Nunca, nunca, nunca critiquem. E se criticam vocês, digam: “De acordo” e sigam, não há o que fazer. Encontrem suas moléculas. Se não as encontram, nem sequer podem ler. Ler é isso, é encontrar suas próprias moléculas. Estão nos livros. Sua moléculas cerebrais estão nos livros e é preciso que encontrem esses livros. Eu creio que nada é mais triste nos jovens, com capacidades, do que envelhecer sem ter encontrado os livros que verdadeiramente estimassem. E, geralmente, não encontrar os livros que se estima, ou, finalmente, não estimar algum, dá uma índole… e de repente se torna o sábio em todos os livros. É uma coisa rara. Tornamo-nos amargos. Vocês conhecem o tipo de amargura que vem desse intelectual por não ter sido capaz de encontrar aqueles que estimava… o ar de superioridade que tem por força de ser bobo. Tudo isso é muito chato. É preciso que, em última instância, tenham relação apenas com o que gostam."

Beijo Anne
Marta

A.Tapadinhas disse...

Tens razão, ser feliz é uma escolha!

O problema é que essa escolha precisa ser confirmada todos os dias...

Beijo,
António

Anne M. Moor disse...

Marta

Fiquei feliz com a tua visita. Volta sempre. Te achega, senta, aceita um cafezinho e delira comigo. Tem em torno de 200 poemas aqui...

Adorei o texto do Deleuze!

bjos
Anne

Anne M. Moor disse...

António

Com certeza e as vezes a escolha não nos quer ouvir :-)

beijos felizes
Anne