quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Limites


Quais são nossos limites?
A beira da página?
A dor?
O amor?
A sombra ou a luz?

Tudo aquilo que causa estranheza
E disfarça o olhar sobre o fenômeno
Vem a cutucar nosso pensar de
Incertezas persistentes.

Nossos limites são tênues,
Complexos e brincalhões!
Pontos de vista diferenciados
Tornam o que vemos e sentimos
Uma confusão de ótica!

© Anne M. Moor

12 comentários:

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Anne, um olhar... define a vida e o caminho.
Olhamos com sentimentos e olhamos com fantasias..
Porém, sempre nosso olhar se põe em cheque: fabricamos ilusões ou tecemos sonhos; vemos e não vemos...
E, assim, vamos vivendo, acreditando no olhar mais que nos estelares acontecimentos.
Que um dia possamos olhar com a magia do amor e com a leveza do vento.
Abraços, com carinho e desejos de um noite serena e tranquila,
Jorge

Anne M. Moor disse...

Jorge

Uma noite serena procê tbm. E que Deus te ouça :-)

beijos
Anne

JORGE LEMOS disse...

Anne

Só os sábios estabelecem seus verdadeiro limites.
Sua sabedoria sempre define
a melhor visão. Grato
Lemos

Anne M. Moor disse...

Jorge L.

Obrigada pelo carinho meu amigão!

beijos
Anne

Márcia disse...

Anne outro dia eu li:o ignorante afirma, o sábio duvida e o sensato reflete (assinaram como sendo de autoria do Aristóteles),mas cabe bem essa frase ao que escrevestes, assim penso.E eu fiquei com uma pergunta martelando: como definir limites?Bjs.Márcia

Anne M. Moor disse...

Márcia

rsrsrs Cada um tem que definir seus próprios limites :-)

beijão
Anne

Graça Pereira disse...

È dificil encontrar os nossos limites...há tanta coisa que pensamos não aguentar e afirmamos "eu não aguentaria" e depois descobrimos que, afinal, o nosso limite é elástico e tem haver com uma série de condições e razões.
Beijo e bom fds
Graça

Anne M. Moor disse...

Graça

É minha amiga, os limites realmente são elástico :-)

bjos
Anne

avesemasas disse...

Boa noite Anne,
O Ser humano tem limites para tudo, eles até podem ser elásticos mas chega uma altura que não esticam mais.

Muito bom o seu poema.

Beijinho,
Ana Martins

Anne M. Moor disse...

Com certeza Ana.

Bjinhos

Anne

Marta Rúbia de Rezende disse...

Anne, me deu uma vontade daquelas. Então voltei aqui e tracei essas mal traçadas linhas.
Gostodemais do tema Limite, muito bem explorado poeticamente por vc.

Experiência-limite

Limite é...
Como dizer?
Limite é
Não se limitar.
Limite é
O ponto do devir.
Limite é
Onde a gente deve ir.
Limite é
Quando pensamento começa a pensar.
Limite é
experimentar a intensidade máxima.
Limite é
Nascedouro do outro em mim.

O amor, já disse o poeta maior,
"É o que se aprende no limite".

Anne M. Moor disse...

Marta

Obrigada pelo carinho. Adorei teu poema, especialmente

"Limite é
Nascedouro do outro em mim."

Beijos
Anne