quarta-feira, 13 de abril de 2011

O revoar das almas




Burburinhos e tensões revoam
A tentar nos aprisionar...

Sem sucesso!

As águas da crise batem
Em entraves a cultivar
Redemoinhos de energias
Abrigadas!

Emergir do casulo sufocante
É reinvenção do caminho
Em piruetas leves
De vida revigorada

© Anne M. Moor

10 comentários:

Luna Sanchez disse...

Feliz é quem tem o seu forte.

=)

Um beijo, Anne.

Anne M. Moor disse...

Luna

Nem sempre, nem sempre...

beijão
Anne

Batom e poesias disse...

Conhece alguém que cola asinhas quebradas de almas?

Belezura de poema.
bjs

Rossana

Anne M. Moor disse...

Rossana

Sei não rsrsrsrsrs

bjos
Anne

JL disse...

Caleidoscópio?

LEMOS

Anne M. Moor disse...

É Jorge :-)

beijão
Anne

AC Rangel disse...

Anne

Vida sempre a se revigorar.
Teimosamente...

beijos

Anne M. Moor disse...

Rangel

E viva a teimosia e a vida!

Beijos teimosos :-)

Anne

Graça Pereira disse...

Se a natureza se renova...porque não havemos nós de fazer o mesmo??
Beijo amigo
Graça

Anne M. Moor disse...

É Graça

E por que não? :-) É só querer né?

beijão e um bom domingo (resto pra ti rsrsrs)

Anne