segunda-feira, 4 de abril de 2011

Os sons do amor


Ouvi o portão fechar
Passos na escada
A chave girando na fechadura
Tua risada gostosa
Pois a porta trancou
Como sempre faz.

Ouvi todos –
Os muitos sons
Do amor.

© Anne M. Moor
Poema adaptado de "Homecoming" de Gay Wilson

21 comentários:

Luna Sanchez disse...

Ah, que lindeza, Anne! Coisas assim, pequenas, simples, me tocam tanto!

Minha avó sabe quando meu avô está chegando em casa e ela diz que é por conta de um som também, mas um que só acontece "do lado de dentro" (palavras dela).

Adorei!

Um beijo bem grande pra ti.

Anne M. Moor disse...

Luna

A tua avó tem toda a razão. E os sons do amor são muitas...

beijão
Anne

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Anne, oo amoe lhe inspira versos de suavidade e ternura, um amor de borboleta num jardim encantado.
Abraços com ternura, Jorge

Anne M. Moor disse...

Obrigada Jorge B.

beijos
Anne

Márcia disse...

Anne!Belíssimo!!Bjs Márcia Duarte

A.Tapadinhas disse...

Porta trancada
Coração aberto!
Tudo certo!

Beijo,
António

Anne M. Moor disse...

Márcia

Bom que gostaste...

bjos
Anne

Anne M. Moor disse...

António

Coração aberto sempre :-) Fechado sufoca!

beijos
Anne

Walquiria disse...

E cada um tem um som... O meu eu reconheço de longe!


Que lindo texto!

Adorei!

Bjs doces

Anne M. Moor disse...

Walquíria

Que bom que você gostou. Volte sempre para delirar conosco.

abraços
Anne

Carlos Eduardo Leal disse...

Os sons do amor são sempre os das tuas palavras, Anne.
Beijos e um fim de semana com muito amor.

Anne M. Moor disse...

Obrigada pelo carinho Carlos Eduardo, meu livro está quase pronto :-)

beijos
Anne

Silvia King Jeck disse...

Oi amiga. Os escrevinhadores incansáveis são mesmo tu e o Carlos Eduardo. Eu continuo a mesma cinéfila de sempre, o que me ocupa mais do que devia. Agora...sons do amor, esses estou sempre ouvindo.
Bjo grande

Anne M. Moor disse...

Silvia

Esses sons surgem, as vezes, em momentos completamente inesperados :-)

beijão
Anne

Jorge Lemos disse...

Surpresa sempre:
esta capacidade de descrever o belo, coração transparente, límpido momento de ternura.
Vc é a nossa Anne.
Bjão do velho
Lemos

Anne M. Moor disse...

Jorge L.

E eu sempre comovida com teu carinho.

Me diz, como estão aqueles nossos amigos sumidos: Walmir, Ernesto e Vittorio?

beijos
Anne

Graça Pereira disse...

Há gestos pequenos, sons translúcidos que indicam que...o amor está chegando!! É hora de irmos correndo e pendurarmo-nos nele...Beijos
Graça

Jorge Lemos disse...

Anne

Cada um carregando seus momentos.
Necessitamos faze-los voltar a tons psts o btilhantismo de outros momentos.
Estão em trabalho e repouso. Até os guerreiros dormem.
Lemos

Anne M. Moor disse...

Graça

Pois, tens toda a razão! :-)

beijos
Anne

Carlos Eduardo Leal disse...

Aguardo ansioso pelo teu filho-livro!
Vai chegar em boa hora. O amor sempre chega em boa hora!
bjs

Anne M. Moor disse...

Com certeza Carlos Eduardo :-)