quinta-feira, 7 de julho de 2011

Os degraus

Convento dos Capuchos - Sintra

Mário Quintana já dizia:

Não desças os degraus do sonho
Para não despertar os monstros.
Não subas aos sótãos - onde
Os deuses, por trás das suas máscaras,
Ocultam o próprio enigma.
Não desças, não subas, fica.
O mistério está é na tua vida!
E é um sonho louco este nosso mundo...

Mario Quintana - Baú de Espantos
Pintura do António Tapadinhas

16 comentários:

A.Tapadinhas disse...

Os degraus que servem para descer são os mesmos que servem para subir!

Lembrei-me de um truque que talvez resulte: quem tiver de descer, desça de costas! Para quem olhar deve parecer que está a subir!
:)
Tu és um Baú de Espantos! Obrigado!

Beijo,
António

Anne M. Moor disse...

rsrsrs António, boa ideia!

Adoro esta tua obra...

beijão
Anne

Luna Sanchez disse...

Se eu não estivesse de relações cortadas com o Quintana por tempo indeterminado, diria que é lindo e sábio isso tudo. Não quero que ele escute, tá?

;)

Beijos!

Anne M. Moor disse...

Luna

rsrsrsrs E o que foi que o Quintana te fez?

beijos
Anne

Graça Pereira disse...

O poema de Mário Quintana, diz tudo mas, a tela do nosso amigo António ...é um ESPANTO!!
Beijo
Graça

Anne M. Moor disse...

Graça

A obra do António me emociona!

beijos
Anne

Luna Sanchez disse...

Ele disse verdades que eu não queria escutar, Anne. E, malvado, ainda as repetiu!

Tô de mal (mas ainda o amo, fato).

;)

Beijokisses!

Anne M. Moor disse...

Luna

A gente custa a ver as verdades nénão? BUT, o que é verdade afinal?????????????

beijão
Anne

Carlos Eduardo Leal disse...

O mistério é a escada sem degraus, é a vida sem esperanças.
bjs

Anne M. Moor disse...

Carlos Eduardo

Eu diria que isso é a tristeza da vida. Não ter escada/esperança me parece a morte... :-(

beijão
Anne

A.Tapadinhas disse...

Nunca se deve perder a esperança.

Beijo,
António
´
Este meu comentário é o pretexto para responder à tua pergunta no Sem Margens. Não é Fernando pessoa. É Zeca Afonso e a canção é Venham mais Cinco. José Afonso foi um cantor de intervenção, muito ligado a Alhos vedros, autor da canção que viria a ser a senha do Movimento das Forças Armadas, no golpe de 25 de Abril de 1974.

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade.

Merece a pena conhecê-lo, pelos poemas, pelas canções, pelo exemplo de vida ... e, para ti deve ter importância, era professor... Se te deres ao trabalho, diz-me a tua opinião. Obrigado.

Anne M. Moor disse...

António

Li alguns poemas dele agora de manhã. Lindos todos.

Obrigada pela resposta. Sinto falta do 'batepapo' descontraído lá no teu blog. :-)

beijos e bom domingo
Anne

A.Tapadinhas disse...

Brevemente terei novidades sobre esse e outros assuntos...

Beijo,
António

Anne M. Moor disse...

OK António... Aguardarei :-)

beijão
Anne

Luna Sanchez disse...

Anne, querida, a verdade tem sido o inconveniente da vez.

Um beijo grande.

Anne M. Moor disse...

Hmmmmmmmmmmmmm Luna...

abraço grande
Anne