terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Telhados




Caminhar nos telhados alheios
Como gato a observar as estrelas
A buscar um companheiro
Apraz-me! 

As coberturas que vejo de uma janela
Ao estar aqui sentada
Contam imensas histórias
De amores, de rixas, de vidas
Vividas com intensidade
Em períodos diversos...

© Anne M. Moor

8 comentários:

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

Adorei! Beijos!

Anne M. Moor disse...

Olá Christina

Bom te ver por aqui!

Bjão
Anne

Solange Maia disse...

telhados são poéticos... são o chão do céu !!!

adorei, Anne !

beijo carinhoso

Anne M. Moor disse...

Solange
Tão bom te ver por aqui novamente. Temos o gostar de poetar em comum.

bjs
Anne

AC Rangel disse...

Bom seria, Anne, nossas vidas agitadas e incertas como a destes
gatos, vagabundos, frequentadores de tão inseguros telhados. Inspirada poesia. Parabéns e obrigado por tua amizade e, principalmente, por teu carinho.

Anne M. Moor disse...

Rangel,

Tão bom te ver aqui me lendo... Há "coisas" que acontecem em nossas vidas "por que sim" e vão ficando...

beijão
Anne

Graça Pereira disse...

Os telhados também produzem em mim essa sensação de bisbilhotar como os gatos. Muito lindo, poema e a foto.
Mil beijos
Graça

Anne M. Moor disse...

Graça

A foto tirei no terraço da casa de minha filha na Holanda. E telhados... vamos dizer que me fascinam assim como portas e janelas. :-)

beijão
Anne