segunda-feira, 23 de abril de 2007

Poesia
Gastei uma hora pensando um verso
que a pena não quer escrever.
No entanto ele está cá dentro
inquieto, vivo.
Ele está cá dentro
e não quer sair.
Mas a poesia deste momento
inunda minha vida inteira.
Carlos Drummond de Andrade © Graña Drummond http://www.memoriaviva.com.br/drummond/index2.htm

E para acompanhar o Drummond, "A Mi Manera" na versão de Il Divo. E um bom dia a todos!

4 comentários:

zuleica disse...

Anne- Sinto essa poesia como tendo sido escrita por você. Aliás, todas as que você transcreve. Gosto de todas. A fotografia que está abaixo é belíssima.
Ah! Obrigada pelas suas palavras no meu Blog.- Beijos- Zuleica.

Anne M. Moor disse...

Bom dia Zuleica! Adoro qdo vc aparece por aqui... Eu pego emprestado as palavras dos poetas para dizer o que estou sentindo...
A fotografia é de Cabo Polonho, uma praia Uruguaia entre o Chui e Punta. É o paraíso dos lobos marinhos, um lugar belíssimo.

Walmir Lima disse...

Anne, querida
Obrigado pelo duplo presente.
Vou guardar com carinho, dentro do meu coração, junto com o dia de hoje.

Anne M. Moor disse...

E falando em presentes... foi um dia de muitos.