quarta-feira, 17 de junho de 2009

Almas Abertas


Dia após dia janelas abertas deram passagem a
afeto e carinho que nasceu de almas em sintonia
sem convite nem procura –
vibrações inexplicáveis formando uma rede tertúlica.

Afeto e carinho pelo companheirismo instalado
amor transformou-se sem sentir.
Ao acordar um dia vimo-nos olho no olho
um no outro, conchas interligadas.

Embalados pela singularidade dos meandros
de um estar junto sem estar, ao murmurar do mar,
as noites tornaram-se estreladas e parceiras.

Vôos noturnos com asas abertas
salpicadas pelo brilho da lua e o cantar do mar
mantêm abertas as janelas da alma.

© Anne M. Moor

14 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Melhor deixar a porta aberta também ... bj

Capitu disse...

Bom dia, Anne! Que bom voltar e ver que continua assim: ativa, leve, fagueira e certeira nas escritas! Passei por várias delas e é muito gostoso ler o seu jeito tão leve de escrever a vida! Mesmo inquietações, mesmo tristezas, mesmo amores, alegrias e descobertas... E ainda quando utiliza letras que não sejam suas, em homenagem a algum poeta, a escolha é sem dúvida primeira!!!

Sim, janelas devem ficar sempre abertas! Principalmente para receber amores que nos são parceiros e nos fazem melhor...

Um beijo, minha querida! Fique bem...

vittorio disse...

Ser e estar no mundo dos sentimentos.
Deixar-se sentir por existir em cada momento.
Sem temor mesmo sabendo-o incerto
não ter medo do porvir.
Deixar-se levar pelos teus versos
nos poemas que enaltecem a essência da vida.
Nos voos de tuas rimas por entre noites estreladas.
Por sobre as ondas do mar revolto da alvorada
Acordar para a realidade sem querença.
Deixar-se livre para fruir da vida e sorrir.

És uma fonte de ternura e de sabedoria cotidiana, a lançar luzes sobre o mais sombrio acordar.
Beijops
Vittorio

Suzana disse...

Estranho o comentário do F.F., pois eu ia escrever a mesma coisa.
Mas, bem sei de sua visão lúdica de janelas!
bjs

Anne M. Moor disse...

Flávio...
As vezes é bom!

Anne M. Moor disse...

Capitu
Que bom te ver de volta! Estás bem? A vida está aí pra ser vivida e eu tento!

Beijão

Anne M. Moor disse...

Vittorio
Tua poesia me encanta!
Obrigado pelo carinho...

Beijos

Anne M. Moor disse...

É Suzana.. portas e janelas tem um significado muito especial pra mim!

Beijos

Walmir Lima disse...

Anne,

Está valendo a pena 'forçar' um tempinho para ler teus escritos.
A chegada do inverno parece que te inspira mais ainda.
Será o crepitar da lareira? Ou será o buquê daquele vinho fantástico?

Walmir Lima disse...

ôpa! Beleza! Pelo que estou vendo, você tem mais seguidores do que Moisés!

A.Tapadinhas disse...

A referência a uma noite estrelada, leva-me fatalmente à pintura que foi inspiração para a canção “Starry, Starry Night” do Don McLean...

Não me farto...

O teu poema ilustra bem qualquer delas...

Beijo com estrelas.
António

Anne M. Moor disse...

Walmir,
E eu gosto muito qdo passeias por aqui...

Acho que é o crepitar da lareira rsrsrs

Beijão

Anne M. Moor disse...

António,
Essa música é muito linda mesmo...

Beijos tbm estrelados :-)

rm disse...

Ei Anne,
algum poeta distraído escreveu os seguintes versos que, acho, vem ao caso:

"... a porta aberta não tem tramela
a janela é sem gelosia
que maravilha..."