sábado, 6 de junho de 2009

No te rindas...



No te rindas,
aún estás a tiempo de
alcanzar y comenzar de nuevo,
aceptar tus sombras, enterrar tus miedos,
liberar el lastre, retomar el vuelo.

No te rindas
que la vida es eso,
continuar el viaje,
perseguir tus sueños,
destrabar el tiempo,
correr los escombros
y destapar el cielo.

No te rindas,
por favor no cedas,
Aunque el frío queme,
aunque el miedo muerda,
aunque el sol se esconda,
y se calle el viento,
aún hay fuego en tu alma
aún hay vida en tus sueños.

Porque la vida es tuya
y tuyo también el deseo
porque lo has querido
y porque te quiero.

Porque existe el vino
y el amor, es cierto.

Porque no hay heridas
que no cure el tiempo.

Abrir las puertas,
quitar los cerrojos,
abandonar las murallas
que te protegieron.

vivir la vida y aceptar el reto,
recuperar la risa,
ensayar el canto,
bajar la guardia y
extender las manos,
desplegar las alas e
intentar de nuevo,
celebrar la vida y
retomar los cielos.

No te rindas,
por favor no cedas,
aunque el frío queme,
aunque el miedo muerda,
aunque el sol se ponga y
se calle el viento,
aún hay fuego en tu alma,
aún hay vida en tus sueños
Porque cada día es un comienzo nuevo.

Porque ésta es la hora y
el mejor momento.

Porque no estás sola.

Porque yo te quiero.

by Mario Benedetti

20 comentários:

Anônimo disse...

bonito isso, a Poesia. O calor que vem de dentro porque lá está frio, onde arde a alma... render ou não render... almas não se rendem, se tecem, rodilhas em espiral... mas "yo estoy sola". bonito isso, o poema...

AC Rangel disse...

A perda do Mario foi algo muito triste. Não podemos perder tudo aquilo que amamos. Lutar para não perder, ao menos. A poesia dele, inconfundível.

Anne M. Moor disse...

"Anônimo"
Que bom que gostaste... Quem sabe te apresentas :-)

Anne M. Moor disse...

Rangel,
A poesia dele é maravilhosa. Tenho 2 livros dele :-) Mas este eu não conhecia e achei muito lindo.

Beijos

Anne M. Moor disse...

Rangel
No te rindas,
por favor no cedas,
Aunque el frío queme,
aunque el miedo muerda,
aunque el sol se esconda,
y se calle el viento,
aún hay fuego en tu alma
aún hay vida en tus sueños.

Abração :-)

Carlos Eduardo Leal disse...

Anne,
Esta poesia tão linda veio em boa hora e ouso mesmo dizer que ela foi escrita ou postada para mim neste momento da vida (e vc leu no meu blog então te agradeço o carinho). Na verdade a poesia, bem sei, é para todos, mas cada um a sente para si, como se fosse só sua. Obrigado.
Grande abraço,
Carlos Eduardo

Anne M. Moor disse...

Carlos Eduardo,
Que bom que o poema do Benedetti caiu no teu momento. Nada é por acaso. Isso eu aprendi na marra :-)

Abraços

Avassaladora disse...

Anne.. Que linda escolha de poema!

Mário colocava vida em seus poemas... em suas palavras...

...No te rindas
que la vida es eso,
continuar el viaje,
perseguir tus sueños,
destrabar el tiempo,
correr los escombros
y destapar el cielo...

Ah, como a gente precisa aprender isso... não se render jamais...

Mas as vezes é tão difícil...

E ao ler um poema assim, que saudade!!!


Beijos amiga!

Suzana disse...

Anne...Anne...Obrigada!
bjs

Suzana disse...

Parece-me que o frio tem suas teias!

bjs

Anne M. Moor disse...

Ava,
Ao se render por uns momentos ter claro que é só provisório :-)

Beijos e um bom domingo

Anne M. Moor disse...

Suzana,
Este poema do Benedetti parece ter calhado como uma luva em vários de meus amigos! Que bom!

Teias do frio ou teias de frio? Mas teias certamente :-)

Beijão

A.Tapadinhas disse...

Começar de novo...

Só é fácil para a Fénix...

ou ela também já terá desistido?

Beijo.
António

Vivian disse...

...olá menina!

feliz de recebê-la lá
em meu cantinho,
deixo-lhe meus carinhos
de admiração pela sensibilidade
dos teus posts.

você é linda!

bjbj

fui mas volto...

Anne M. Moor disse...

António,
Nem ela nem ninguém deve desistir! :-)

Beijos

Anne M. Moor disse...

Vivian,
Obrigada pela sua visita. Venho acompanhando seus comentários em alguns blogs e hoje fui lhe visitar e voltarei tbm.Gostei do li.

Beijos

ŁǺи¥ disse...

Lindo poema... muito bom gosto!

Abraço

Silvia disse...

Querida amiga, Qual o título do livro em que se encontra este poema? Ando atrás dele.....

Márcia disse...

Antes mesmo de chegar ao fim da poesia eu já sabia quem era o autor! Genial!! Em qual livro dele encontro este poema? E concordo contigo: ninguém desistir.Mas fazer uma breve pausa de vez em quando torna-se necessário.Um bjão!

Anne M. Moor disse...

Márcia!
Bom te ver por aqui...

Bjos