sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Memórias


Na sombra acolhedora da figueira imensa
desenhos no chão formam
teias de mistérios sorridentes.

Na sombra espalhada da figueira centenária
sorrisos falam de amizade e paz,
ricos passados sofridos, mas vividos.

Na sombra nostálgica da figueira protetora
lembranças se espalham na rede
de almas entrelaçadas por intuições.

© Anne M. Moor

13 comentários:

Ava disse...

Huummm... Que bom...

Vejo que a saudade bateu por aqui também...rs

Memórias recheadas de velhas lembranças, que a sombra de uma velha figueira só faz evidenciar...

..."ricos passados sofridos, mas vividos."

Anne, que bela frase...

Viver é isso... apenas isso.. viver... no final a gente sempre sai no lucro...

Parabens !

O poema está maravilhoso!


Beijos e carinhos mil!

Anne M. Moor disse...

Ava
As figueiras guardam muitos segredos...

Beijão

A.Tapadinhas disse...

Ontem não via nenhuma fotografia e deixei aqui um comentário...

Hoje, numa espécie de lei das compensações, desapareceu o comentário e apareceu a fotografia... Ficamos a ganhar: as protagonistas são lindas...

Lembrava duma figueira que já fez parte duma entrada anterior. São figueiras mágicas: em vez de figos, dão poemas... igualmente saborosos...

Beijo.
António
António

Anne M. Moor disse...

:-( Teu comentário de ontem não chegou não... O que será que houve??? Vai ver que postaste ao mesmo tempo que inclui a foto e foi demais pros neurônios do blogger rsrsrsrsrs

Obrigada meu amigo. A Graça (Maria) e eu somos amigas desde crianças.

As figueiras, como eu disse a Ava, guardam muitos segredos que presenciaram sob suas sobras lindas!! Temos muitas dessas árvores por aqui!

Beijos

Flavio Ferrari disse...

Que imagem deliciosa. Isso é paz.

Anne M. Moor disse...

O lugar e o papo Flávio...

Beijos

rm disse...

Ei Anne,
"teias de mistérios sorridentes", "ricos passados sofridos, mas vividos" e "almas entrelaçadas por intuições" são rimas "mais que perfeitas". Parabéns!

Anne M. Moor disse...

Obrigada rm... tão bom qdo meus leitores e amigos gostam do que escrevo...

Abração

vittorio disse...

Um encanto, instantes a ficar em nossas vidas, para nunca esquecer. Os desenhos das sombras que se formam no caminho lento do sol a espreitar estes instantes de felicidade.
beijos

Walmir Lima disse...

Ia perguntar.
Não tinha reconhecido a Maria (Graça).
Belissimo texto!
Cada vez mais um reflexo de vocês, teias de mistérios sorridentes.

Anne M. Moor disse...

Vittorio e Walmir

Amizades de outros carnavais nos sustentam na vida...

Obrigada aos dois e um abraço bem apertado neste dia de vcs!!

AC Rangel disse...

Estes galhos desta figueira, acredite, chega até aqui. E, incrível, me toca levemente. Traz o perfume da tua casa, o cheiro do café que vc acaba de coar, até o frio que não é comum por aqui. Quer saber: amei esta figueira...
Beijo

Anne M. Moor disse...

Rangel
Essa casa não é minha :-) é da Graça...

A figueira abraça todos longe e perto...

Beijos