domingo, 4 de outubro de 2009

Las ramblas de la vida...


Las ramblas de la vida traen
memorias de tiempos idos
memorias de tiempos nuevos
en que (re)conocimos amigos
de corazón, de almas gemelas!

Los eucaliptos que coparon un refugio
relleno de calor humano, de un cariño
descubierto por letras y palabras
exhalan aromas de verano, momentos
de magia de primaveras de nuestras vidas!

Los dias que vinieron trajeron en su íntimo
un sentirse bien,
un sentirse amado
un sentirse protegido
en el abrazo de ser comprendidos!

© Anne M. Moor

10 comentários:

Udi disse...

Nada como ser poliglota para poder escolher o som que melhor se adequa à emoção do momento!
Acompanhando a 'melodia' do poema, é impossível imaginá-lo em português.
un abrazo de comprensión!
:)

Anne M. Moor disse...

Udi
Tive uma intuição que tu serias a primeira a comentar aqui hoje... "O som que se adequa à emoção do momento" é algo previsto pela ciência e chama-se "a língua do coração". Pra mim isso é muito forte no português que considero minha língua, mas ultimamente tem transbordado pro espanhol.

Obigada pelo abrazo de comprensión y otro para vós!

Beijão

Ana Martins disse...

Um poema lindo Anne, com sentires nobres de amizade e amor!

Beijinhos,
Ana Martins

rm disse...

Muito bonita a expressão "amigos de coração". Não excede, não redunda; ao contrário, é justa.

Derek disse...

Chevere!!!!

Anne M. Moor disse...

Ana
Encontrar amigos dos tempos da escola primária tem sido uma delícia!

Beijos

Anne M. Moor disse...

rm

Como eu disse a Ana, esse reencontro de amigos de 50 anos atrás tem sido uma aventura deliciosa.

Bjos

Anne M. Moor disse...

Thanks filhão!!! Tu sabes como tem sido bom mesmo.

Beijão

vittorio disse...

é o que esta a faltar nestes dias

Como sempre a nos fazer refletir sobre o prazer de viver as coisas simples da vida.

beijos
Vittorio

Anne M. Moor disse...

Vittorio
São as coisas simples da vida que dão cor a ela...

Obrigada pelo carinho nos 3 posts...

Beijos