terça-feira, 25 de maio de 2010

Poetando


Jorram de minhas veias
Palavras perdidas
Pensamentos, idéias
Vontades contidas

Soltam-se as letras
Confusas emoções
Alegrias dispersas
Em turbilhões

Palpitam no peito
Esperanças escritas
E a torto ou direito
Ganham vida

Aos poucos tomam forma
Sem saber sua valia
E assim se transformam
Em poesia...

*Do livro Conversando com as Estrelas - copyright by Angela Bretãs
http://www.angelabretas.com/poesia039.htm

10 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Tá inspirada a moça hoje ... bj

Graça Pereira disse...

Aqui está uma explicação lírica e bonita...de como nasce uma Poesia!
Beijo
Graça

Anne M. Moor disse...

Flávio, o pior é que não...

Anne M. Moor disse...

Graça,

Gosto muito da poesia da Angela Bretas...

Bjos
Anne

Maria Regina disse...

Bom encontrar um blog de poesias!Pois, poesia , também é isso, é a arte do enconto e reencontro consigo mesmo e com outros .
Um abraço

Anne M. Moor disse...

Maria Regina

Obrigada pela visita e o carinho. Volte sempre!

Bjos
Anne

Carlos Eduardo Leal disse...

É maravilhoso o que jorra de suas veias poéticas. Sangue de palavras, lirismos para a nossa vida diária.
Bjs e o carinho de sempre,
Carlos Eduardo

Anne M. Moor disse...

Carlos Eduardo

Obrigada, mas este poema não é meu... é da Angela Bretas. Adoro a poesia dela.

Bjos
Anne

Carlos Eduardo Leal disse...

Ah, Anne,
Boa a minha confusão. Sinal que você está presente EM poesia em nossas vidas,
carinho,

Anne M. Moor disse...

Carlos Eduardo

:-)