domingo, 5 de junho de 2011

Fazer o que?


As vezes me pergunto
Qual o propósito da vida
Qual a razão de tanto
Sofrimento e dor...

Momentos de angústia
Tentam nos mostrar
Caminhos de reinvenção
Por vezes sem sucesso.

O remar na vida encontra
Forças misteriosas a
Empurrar em sentido
Oposto à maré.

Silêncios se insinuam
A fechar portas da
Cumplicidade e do
Sentido de pertencer.

© Anne M. Moor

8 comentários:

Carlos Eduardo Leal disse...

É querida amiga,
Às vezes a vida dói / que parece que a carne / mói.
Silêncios e incompletudes.
Beijos e boa semana.

A.Tapadinhas disse...

O propósito da vida?

Só há uma resposta: ser FELIZ!

Beijo sorridente,
António

Anne M. Moor disse...

Carlos Eduardo

Pois, mas a gente sobrevive :-)

beijos
Anne

Anne M. Moor disse...

António

Vivê-la e ser feliz! ´

Beijos felizes,

Anne

Graça Pereira disse...

Se a vida não fosse composta de tanta contradição, como poderiamos distinguir uma noite de luar, de uma tempestade forte no alto mar?
É na diferença que está a felicidade!
Beijo
Graça

Anne M. Moor disse...

É Graça, tens razão! É que vez por outra esqueço disso!!!!!

beijos
Anne

OUTONO disse...

Amiga...por isso mesmo, o tempo é um mestre secular na sabedoria do nosso sorrir...

Beijinho!

Anne M. Moor disse...

Outono

Se é! Seja bem vindo ao meu lar. Volte sempre.

beijos
Anne